Poronga

Poronga

Na palma da mão

Ontem, no programa radiofônico que participa todas as segundas feiras, a partir das 7h30, veiculado pelo Sistema Público de Comunicação, o governador Gladson Cameli (PP) entrou no ritmo da Expoacre 2019, a maior feira de agronegócios do estado, que será realizada de 27 de julho de a 4 de agosto, no Parque de Exposições Wildy Viana.

Estrutura

Gladson Cameli comentou que as obras de reestruturação do espaço da feira, revelando que as mesmas seguem a todo vapor. Enumerou que só na limpeza, mais de 500 caçambas com entulhos já foram retiradas do local. Além disso, também está sendo feita a recuperação das ruas e da parte hidráulica de todo o parque, junto com a reforma completa das arquibancadas e do palco da arena de rodeio. As ações envolvem diversas secretarias e parceiros e até mesmo com a atuação de reeducandos do sistema prisional.

Prestígio e estratégia

Gladson divulgou que para abertura da Expoacre já está confirmada a presença de quatro governadores: o do Amazonas, Rondônia, Roraima e Mato Grosso. E as novidades deste ano incluem o funcionamento do Parque durante o dia e à noite, com a mudança da Casa Civil e das secretarias de Estado para dentro do parque, numa estratégia que visa procurar maneiras de usar o Parque de Exposições durante o ano todo, não apenas na Expoacre.

Racionalidade

“Quando acabar a feira, vamos entrar num consenso, porque eu não vou deixar que o parque fique um ano fechado. Aí na época da Expoacre novamente lá vai o governo ter que desembolsar milhões para recuperar. Por que não utilizar para o bem da sociedade o parque durante todo o ano? E eu tô falando de parcerias com o Sebrae, com o Sistema S, com o próprio Corpo de Bombeiros e Polícia Militar”, destaca o governador.

Alvíssaras

Outro assunto tocado durante o programa foi a liberação de mais de R$ 300 milhões em julho em três folhas de pagamento. No dia 19, o governo pagou a segunda parcela do 13° atrasado do ano passado. Já no dia 26 será liberado o salário do mês, mais a metade do 13° deste ano para todos os servidores públicos estaduais.

Dindim no bolso

Gladson Cameli comentou ainda que também está pagando a metade do 13° salário dos servidores do Pró-Saúde, além da gratificação de Valorização do Desempenho Profissional (VDP) dos professores. “Fazemos um esforço para conseguir pagar o servidor em dia e fazemos esse reconhecimento investindo no pagamento das gratificações que eles merecem. Que pena que nem todos podem receber gratificações, porque as condições não deixam, mas eu tenho procurado conversar com todos os sindicatos”, conta.

Interiorização

O vice-governador Wherles Rocha está mantendo a promessa de estreitar os laços do governo do estado, principalmente de seu gabinete, com a população do Vale do Juruá. A montagem de um gabinete institucional do vice-governador, em Cruzeiro do Sul, para receber a população e ouvir as demandas de todo o Juruá está se concretizando e Rocha, na sua última passagem pelo município, além de falar de política, abordou também vários outros assuntos.

Carreira solo

Sobre política, conforme já divulgado pelos sites das cidades juruaenses, ele anunciou que seu partido – o PSDB, apesar de suas boas relações com o prefeito Ilderlei Cordeiro, que deve ser candidato à reeleição, terá candidato próprio.

Problema-mor

Sobre os problemas enfrentados no dia a dia da região, Rocha externou que ‘uma das grandes preocupações do governo em relação ao Vale do Juruá, assim como em todo o Acre, se relaciona à questão da segurança pública e o combate à violência, para que permaneça a sensação de segurança em todo o Estado”

Prioridades

Analisou que essa sensação chegou, e está acontecendo, mas nós (o governo) não podemos nos descuidar. Nossa Polícia Civil aqui na região carecia de reforço no armamento. Aqui, nós tínhamos facções criminosas muito bem armadas, principalmente na zona rural dos nossos municípios”.

Cuspindo bala!

E segue: “Tínhamos informações disso e fizemos um levantamento em Rio Branco do armamento que podíamos dispor para reforçar a polícia do extremo oeste do estado para fazer o enfrentamento a esses criminosos. Entendemos que não podemos deixar que a Polícia Civil, aqui no Juruá, vá combater a criminalidade com desequilíbrio de força – ou seja, com os bandidos mais bem armados do que nossos policiais”, anotou o vice governador.

Embate político

Rocha ainda mantém as acusações levantadas contra Vagner Sales nas eleições de 2016. O Caso remonta ao período quando o ex-prefeito foi gravado fazendo propostas indecorosas para esvaziar a chapa do PSDB e que ensejou um processo de cassação da chapa do atual prefeito Ilderlei Cordeiro (PP) na Justiça Eleitoral.

Princípios

O vice-governador disse que mantém as acusações por entender que é preciso haver ética na política. “Não podemos admitir que práticas como aquela aconteçam. Não tenho nenhum constrangimento em falar disso – até porque eu me sinto autorizado a falar sobre isso porque fui o autor da denúncia contra o ex-presidente Lula. Também trabalhei e me empenhei muito pela eleição do Aécio Neves, mas quando veio à tona aquela situação (gravações em que o ex-candidato a presidente pedia R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista), em nenhum momento eu fiquei em cima do muro e defendi sua expulsão do Partido”, disse.

Cortando na carne!

O processo contra Aécio Neves será decidido no voto, no diretório nacional do PSDB, no próximo dia 22. Rocha também mantém a acusação contra o atual deputado. “Nós não podemos ao nosso lado aquelas pessoas eu praticam ilegalidades e se forem do nosso partido, têm que ser perdoadas. Eu não penso assim. O certo é o certo e o errado é o errado e eu não estou na política para passar a mão na cabeça de ninguém, mesmo que sejam do meu próprio Partido”, disse.

Faço, refaço e aperto o laço

E segue: “Denunciei o Aécio Neves por aquela situação e o denunciei ainda na tribuna da Câmara por algumas manobras e acho que temos que nos manter nessa linha e o que é errado tem que ser denunciado. É isso e acabou”, afirmou.

Exterminador do presente

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) declarou ontem, segunda-feira (22), em Brasília, que pretende extinguir “a grande maioria dos conselhos” formados por representantes do governo e da sociedade civil.

Liberdade consentida

Bolsonaro deu a declaração ao ser questionado sobre o decreto assinado por ele, que excluiu vagas destinadas a especialistas e integrantes da sociedade civil no Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas (Conad). O decreto também proíbe que discussões do Conad se tornem públicas sem autorização prévia.

Simples assim!

De acordo com o presidente, a extinção da maioria dos conselhos e o enxugamento daqueles que permanecerem são medidas necessárias para que o governo “possa funcionar”. “Como regra, a gente não pode ter conselho que não decide nada. Dada a quantidade de pessoas envolvidas a decisão é quase impossível de ser tomada”, completou o presidente.


gow banner p20