Poronga

Poronga

Kimpara e o PSDB

Em Rio Branco, é visível a aproximação do ex-reitor Minoru Kimpara ao grupo do PSDB encabeçado pelo vice-governador Major Rocha e sua irmã Mara Rocha, deputada federal. O grupo, acompanhado pelo assessor Correinha, tomou café junto na manhã de sexta-feira (19), no mercado Elias Mansour, em Rio Branco. O fato chamou a atenção porque Kinpara, que disputou o Senado em 2018 e foi muito bem votado, principalmente na capital, é bem cotado como candidato a prefeito.

Aí tem...

Foi o segundo café da manhã de Kimpara com os Rochas e o PSDB em menos de 90 dias. O primeiro foi na sede do Partido, no bairro do Ipase. Chama a atenção porque, convidado para se filiar em vários partidos e disputar a eleição municipal, de alguma forma, ele vem esnobando a todos. Diz que ainda não tomou decisão, não escolheu um partido e nem sabe ainda se fato é candidato. Mas, enquanto 2020 não chega, Kimpara vai se encontrando e se alimentando com os tucanos. Como diz o matuto: aí tem...

Puro deboche

A forma debochada com a qual o ex-prefeito de Cruzeiro do Sul Vagner Sales trata a vida pública veio à lume mais uma vez. Em redes sociais e seus grupos, o ex-prefeito, ao tratar do noticiário sobre o leilão de carros de sua propriedade para o pagamento e ressarcimento de recursos públicos que teriam sido desviados à época em que ele era gestor da cidade, o próprio, com ironias, disse ter dinheiro suficiente para pagar eventuais condenações.

Conselhos de um condenado

Veja o que ele diz num grupo de redes sociais, no linguajar com o qual ele se expressa e num idioma talvez próximo da língua portuguesa: “Primeiro, que não foi dinheiro desviado, foi uma multa; segundo não foi todos os meus carros disponibilidade (sic), apenas um; terceiro, que tenho com que pagar. É bom fazer jornalismo com responsabilidade”, aconselhou o político seguidamente condenado pelo que há de pior na vida pública: a subtração do erário.

Um milionário pobre

Estaria tudo bem com as contas do ex-prefeito, que agora diz ter dinheiro suficiente para arcar com as multas, se ele, em tempo recente, não tivesse solicitado defesa gratuita do Estado e dito à Justiça que é hipossuficiente – ou seja, um pobre de marré que não poderia arcar com as próprias despesas, muito menos com o pagamento de multas ou devoluções de dinheiro público. Pobre país este chamado Brasil!

Solidariedade à Casseb

O coronel PM Ulysses Araújo, ex-candidato a governador pelo PSL em 2018 no Acre, saiu em defesa do médico Giovanni Casseb, preso em Rio Branco, sexta-feira (19), como distribuidor de medicamentos irregulares e muito utilizados em academias, os chamados anabolizantes. O médico preso é filho de um respeitado advogado, músico e oficial da reserva da Polícia Militar do Acre, Bady Casseb. Ulysses disse que conhece o médico desde criança, sabe do seu caráter e dedicação à profissão e que sua prisão atenderia, segundo ele, aos interesses de quem quer aparecer.

Doido e meio

Ao tomar conhecimento das agressões (por enquanto verbais) de Mazinho Serafim a um vereador da oposição, o vereador Canário, quando o edil concedia uma entrevista nos estúdios da Rádio aldeia, aos quais o prefeito invadiu sem pejo ou pudor, alguém disse que o valentão só vai parar com isso quando encontrar alguém tão doido quanto ele.

Freio

Se lá atrás, quando ele era deputado estadual ainda pelo PT e quase bateu no então secretário Nepomunceno Carioca, alguém tivesse revidado à agressão, ele não teria levado às ruas a fama de valentão pela qual passou a achar que todo mundo lhe deve obediência ou medo. O coluna entende que remédio para doido é um doido e meio, incluindo os casos de valentia.

Parabéns, Silvânia!

Mas, do episódio dantesco em que mais uma vez o prefeito de Sena se envolveu em confusão, o que surgiu de positivo e, portanto, elogiável, foi o comportamento da Secretária de Estado de Comunicação, jornalista Silvânia Pinheiro, na defesa da liberdade de imprensa, dos jornalistas e do funcionário da TV Aldeia, que trabalham sob sua coordenação.

Lucidez

Natural de Sena Madureira, por conseguinte, com alguma ligação política com o prefeito, mesmo assim, Silvânia veio a público, em nota, repudiar as atitudes de Mazinho Serafim e dizer que esse comportamento político de agressão, ainda que verbal, não encontra eco no atual governo local nem no mundo contemporâneo da decência. É isso, Silvânia!

Encrenqueiro

O presidente Jair Bolsonaro parece ter pirado de vez. Num único dia, na última sexta-feira (19), ele arranjou confusão por mais de metro: com a Rede Globo, após ofender a jornalista Mírian Leitão, depois ao dizer que no Brasil ninguém passa fome e à noite bateu boca com a ex-prostituta Bruna Surfistinha, por conta de um filme sobre sua vida e cuja história foi às telas interpretada pela atriz Débora Secco, visto no país por mais de 15 milhões de pessoas.

Sobre sacanagens

Bolsonaro disse que, sob seu governo, a Asacine (Associação Nacional de Cinema), ligada ao extinto Ministério da Cultura, não produzirá novos filmes sobre prostituição e pornografia, “em respeito às famílias brasileiras”. Surfistinha reagiu de bate pronto: “Antes de ele [Bolsonaro] fazer juízo de valor sobre os outros, deveria cuidar da moral da própria família e de nosso país”.


Revalida

Pode haver outros, mas o principal padrinho dos brasileiros que estudam medicina no exterior, principalmente na Bolívia, é o deputado Alan Rick ((DEM-AC), que conseguiu, com sua luta e dedicação ao tema, o anúncio, do MEC (Ministério da Educação e Cultura), de que o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituições estrangeiras, o Revalida, passará a ter duas provas por ano. Isso aumenta as chances de os brasileiros formados no exterior.

Ação elogiosa

Com isso, os profissionais passam a ter a oportunidade de uma segunda fase do processo. O anúncio veio coroar o esforço de Alan Rick na defesa de mais de uma edição por ano do Revalida e que isso foi obtido por coincidir com os desejos do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Insistência

Não foi uma nem duas vezes que o deputado foi bater às portas do Ministério da Educação na defesa de projeto sobre o tema, o que deve beneficiar centenas de acreanos se formaram em Medicina no exterior, principalmente na Bolívia. O típico caso de uma ação parlamentar que merece elogios.

Irritação visível

Um amigo do governador Gladson Cameli passou a informação de que já é visível a irritação do governante com a secretária de Saúde, Mônica Feres. O governador tem dito que ela ainda tem saldo positivo, mas deve lhe conceder um prazo exíguo, já na próxima semana: ou começa a dar sinais de que vai resolver o problema ou lhe entregue o boné. O nome de José Bestene, o deputado estadual que um dia comandou o sistema de saúde do Estado e que parece entender do riscado, começou a ser de novo lembrado.


gow banner p20