Cidade

Cidade

Ações de valorização à vida e prevenção ao suicídio são intensificadas pela Prefeitura no “Setembro Amarelo”

O Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, solenizado no último dia 10 no Brasil, permitiu que setembro fosse o mês escolhido para realização da campanha “Setembro Amarelo”. O objetivo central da campanha é a conscientização sobre a importância da prevenção do suicídio.

Durante todo o mês, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) está intensificando o diálogo e promovendo uma série de ações sobre o tema. Nesta quinta-feira (19), por exemplo, num ato intersetorial, a equipe de Matriciamento em Saúde Mental da Semsa juntamente com a Polícia Militar promoveu um encontro, que, incluiu a apresentação da Rede de Atenção Psicossocial – Rio Branco, em alusão ao Setembro Amarelo.

O evento ocorreu na sede da Federação das Indústrias do Estado do Acre (FIEAC), na Avenida Ceará e contou com a participação da enfermeira Vanessa Velasco, coordenadora da Equipe de Matriciamento em Saúde Mental da Semsa.

Segundo Vanessa, a Prefeitura, está promovendo nas Unidades de Saúde da Família e já realizou na praça central da cidade, rodas de conversa com os pacientes ampliando os debates sobre suicídio, que é considerado um problema de saúde pública. “Fazer esse trabalho intersetorial é prevenção de saúde mental, com foco nas tentativas de suicídio. A intenção é trabalhar de forma articulada em defesa da vida”, disse.

O Setembro Amarelo é uma campanha que foi criada com o intuito de informar as pessoas sobre o suicídio, uma prática que normalmente é motivada pela depressão e que mesmo com tantos casos notórios, crescentes a cada ano, ainda existe uma expressiva barreira para falar sobre o problema.

O coronel Wagner Estanislau de Araújo, diretor da Policlínica da Polícia Militar (PM/AC) observa que, no momento atual, a população mundial, principalmente a brasileira e mais especificamente a população acriana está sofrendo muito com essa mazela chamada suicídio. Para o oficial médico, o desequilíbrio socioeconômico que o país está enfrentando nos últimos anos, levou a sociedade a ficar dessa forma tão fragilizada.

“O propósito do encontro intersetorial é orientar e educar nossa tropa e as pessoas que estão ligadas a ela, a respeito do suicídio, na busca de diminuir ao máximo possível e até erradicar, o que não é fácil. Esta palestra de hoje, é um compartilhamento de conhecimentos entre pessoas especializadas no assunto, com o intuito de melhorar a qualidade de vida dos policiais militares e de seus familiares, estimulando a relação entre aspectos psicológicos e sociais", explica.

O doutor Wagner ressalta que, no Acre, houve uma explosão dessa problemática a partir do momento que as facções surgiram na região há mais ou menos quatro anos. “Isso aí gerou uma série de conflitos, que se somaram aos que já existiam antes. Na verdade, trata-se de uma parte do contexto, porque, existem outros fatores: econômicos sociais e de saúde também”, completou.


gow banner p20