Cidade

Cidade

Prefeitura de Rio Branco reafirma compromisso com a juventude

Em Rio Branco, as políticas públicas nas áreas de cultura, educação, esporte e lazer voltadas para a juventude

ganham cada vez mais força. A prefeita Socorro Neri têm buscado incentivar e fortalecer programas voltados para esse público com ações transversais entre todas as pastas da gestão municipal. A Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH), por meio do Departamento de Juventude, é quem tem coordenado essa política.

Entre as ações, destaca-se o Programa de Estágio, implantado como política pública em 2013 e que deste de então já beneficiou aproximadamente 2500 jovens. A iniciativa gera oportunidades e contribui na formação de jovens estudantes, do ensino médio e superior. Atualmente, são 170 estagiários distribuídos em todas as secretarias da Prefeitura.

“Antes, a Prefeitura recebia estagiários, mas não era em formato de política pública. Tanto que tínhamos em média cerca de 30 estagiários em toda a gestão. Quando formalizamos como uma ação do município de valorização da juventude, a cada ano, nosso alcance aumenta e recebemos muitos jovens que dão o pontapé inicial no mercado de trabalho por meio desse programa. Neste sentido, damos oportunidades para que eles possam se qualificar em diversas áreas”, afirma a diretora de políticas para a Juventude da SASDH, Temyllis Silva.

cidade 2São diversas ações promovidas pelo município com o objetivo incentivar e fortalecer atividades voltadas para juventude - Fotos: Assessoria PMRB

A biomédica e farmacêutica Nathana Araújo, que atuou como estagiária de farmácia, e agora é responsável pelo setor no Centro de Saúde Barral y Barral é um dos exemplos de sucesso do programa.

“Para mim, essa experiência foi de grande valia, pois na faculdade não aprendemos com detalhes sobre como podemos atender melhor o paciente. O trabalho que estou hoje foi por conta dessa vivência no Programa de Estágio, pois isso pesou muito no meu currículo na hora da seleção, o que me destacou entre os quatro outros concorrentes. Posso afirmar, com certeza, que isso mudou minha vida”, destacou.

cidade 3

A Cultura que transforma

A cidade mais colorida e a oportunidade de integrar a juventude em diversas atividades artísticas e culturais. O RB Graffiti chegou a sua terceira edição em 2019 com o tema “Reflorestando a Paz”, além de receber pessoas de diversos lugares do Brasil e do mundo, também integrou jovens residentes de Rio Branco em sua programação, que passou pelo bairro Preventório.

Foram rodas de conversas, oficinas, batalhas de rimas, apresentações musicais, de teatro, e claro, muita arte urbana em diversos pontos da capital. A atividade foi uma realização do grupo Aquiry Crew, com apoio da Prefeitura de Rio Branco, por meio da Fundação de Cultura, Esporte e Lazer Garibaldi Brasil (FGB).

“O RB Graffiti, num contexto bem mais amplo, não é só um encontro de grafiteiros, mas um encontro das artes. Para nós, nossas pinturas vão muito além, pois levam consciência, sabedoria, conhecimento e o mais importante: transforma vidas e dá oportunidades para a sociedade”, diz Matias Souza, um dos organizadores do evento.

Ele ressalta, ainda, que esse movimento cultural abrange diversas vertentes, pois abre oportunidades para que o jovem possa se tornar um artista gráfico, digital e de moda, entre outros. “Assim como os outros anos, nesta edição, tivemos jovens que estão em vulnerabilidade social ou de ócio, e essa ferramenta proporcionou que eles despertassem sua criatividade, ao mesmo tempo que possibilitou que essa seja uma forma de renda para a sua vida”, aponta Matias.

Outra grande atividade cultural que conta com uma expressiva participação dos jovens é o Circuito Junino de Rio Banco. Somente neste ano, dez grupos da capital se apresentaram na arena dos folguedos da nova Casa da Cultura, mais conhecida como Quadrilhódromo, integrando mais de 300 pessoas na montagem dos espetáculos. O espaço, assim como o evento, conta com recursos do município, com apoio de emendas parlamentares.

cidade 4

Andreia Vieira, vice-presidente da Liga de Quadrilhas Juninas do Acre, instituição executora do Circuito junto com a Prefeitura, destaca que o papel de uma quadrilha junina é grandioso dentro das comunidades, pois envolve crianças, jovens e adultos por cerca de seis meses, e ensina a eles a interagir em grupo, liderar, costurar, customizar, atuar, dançar, empreender, ser um agente multiplicador e produtor de cultura.

“Os grupos juninos trabalham inclusão, educação e reforçam para essas pessoas que seu principal papel na sociedade é de ser um cidadão conhecedor de seus direitos e deveres, os tornando membros colaboradores para a construção de uma sociedade menos preconceituosa e mais sensível ao outro. Os trabalhos apresentados ao público sempre abordam temas que afligem a sociedade de algum jeito, mas sempre trazendo em sua narrativa cores e muita emoção”, conclui Andreia.

Talentos musicais e de dança

A descoberta de diversos talentos e a integração entre os estudantes das escolas de Rio Branco por meio da música. É com essa ideia que o Festival Estudantil da Canção (FEC) chegou neste mês a sua quarta edição em Rio Branco.

A atividade é um sucesso entre os jovens da capital, que esperam ansiosos por essa atividade para que possam se expressar artisticamente. A iniciativa é uma realização da gestão municipal, e será cumprida em seis etapas classificatórias nas regionais do Segundo Distrito, Bosque/Tucumã, Baixada, Centro, Universitário e zona rural. A grande final será no dia 27 de setembro, na Praça da Juventude.

Vencedora do terceiro lugar da categoria Intérprete em 2018, a estudante da escola Lourenço Filho, Brunna Salles, destacou o quanto a oportunidade de participar do FEC foi transformadora para ela.

“Uma pessoa que nunca subiu em um palco de repente estar lá, com várias outras te olhando e mandando boas energias, é incrível. A gente se sente valorizado. Para mim, foi uma experiência inesquecível, pois me possibilitou esse sentimento e me ensinou muito sobre um artista que trabalha com música. Neste ano, vou participar de novo e espero me sair tão bem como ano passado”, afirmou Brunna.

A diretora de políticas para a Juventude da SASDH, Temyllis Silva, apontou que esse é um investimento da Prefeitura de Rio Branco que visa fortalecer as atividades voltadas para a juventude e cultura da cidade. “Esse é um festival que vem revelando talentos e proporcionando a esses jovens o sonho de subir num palco, para que sintam que esse sonho de trilhar na música é possível. Acreditamos no poder transformador disso, pois fomentar essa iniciativa nos jovens muitas vezes é o primeiro passo de uma carreira futura”.

cidade 5

E a caça de talentos não fica só para quem canta, pois Rio Branco também recebe o Festival de Dança, que abriu no início do mês de agosto as inscrições para a sua terceira edição. Neste ano, a atividade, promovida pela Associação de Dança do Acre (Asdac), com recursos do Fundo Municipal de Cultura da Prefeitura de Rio Branco, por meio da FGB, conta com o tema “A Dança Transcende a Cidade.

O evento será nos meses de setembro e outubro, e passará por três pontos da cidade: Escola Marilda Gouveia, no bairro João Eduardo, Cidade do Povo e Praça Céu das Artes, na Cidade Nova. A semifinal e a grande final serão no Cine Teatro Recreio, na Gameleira, nos meses de novembro e dezembro, respectivamente.

“Estamos encontrando muitos jovens talentosos que nos surpreenderam. O interessante do festival é que ampliamos para todas as modalidades, para que todos possam se sentir incluídos, desde a dança clássica, até o hip hop. Outra coisa importante é que o evento envolve esses jovens por cerca de seis meses, e neste tempo, eles se organizam, e isso dá uma nova perspectiva, pois a arte toca nessas pessoas e dá outro sentido. E é esse o papel de uma política pública: preencher as nuances que a sociedade gostaria de ter”, explica Camila Cabeça, uma das organizadoras do Festival de Dança.

Cultura de Paz

Ações de iniciação artística nos Centros Culturais Thaumaturgo Filho (Manoel Julião), Lydia Hammes (Aeroporto Velho) e Neném Sombra (Quinze) fazem parte do programa Cultura de Paz, promovido pela gestão municipal.

A iniciativa visa oferecer gratuitamente ou a baixo custo atividades nestes espaços públicos para a comunidade do entorno. Atualmente, são oferecidas aulas de jiu-jítsu, dança, capoeira, aeróbica, violão, percussão, ballet, hip hop, kung fu, forró, yoga, dança afro, zouk, pilates, dança estilizada e aeroginga.

“A gestão tem se preocupado com os jovens da nossa cidade, e por isso, temos motivado em nossas ações o conceito de cultura de paz, que visa a prevenção desse público às situações vulneráveis de violência. Por isso, a Prefeitura vem fazendo um investimento forte na revitalização dos equipamentos culturais para receber essa juventude e assim dar novas oportunidades a eles por meio da arte. Nossa política é exatamente essa: prevenção e novas oportunidades, por meios de ações integradas”, destaca a coordenadora dos Centros Culturais de Rio Branco, Priscila Cordeiro.


gow banner p20