Artigos

Artigos

Ciclo de palestras Moro & Dallagnol: “como enganar os trouxas e ficar rico”

O título acima é uma sugestão gratuita para o próximo ciclo de palestras dos heróis da Lava Jato.

Com a fama que ganharam de homens de negócios nas últimas semanas, após as revelações da Vaza Jato, seria o maior sucesso.

Platéia não vai faltar. Em síntese, é o que todos os bolsominions estão sonhando fazer antes que a farra acabe.

Tinha pensado num outro tema para as palestras da dupla, mas me falaram que pode não pegar bem: “Pequenos homens, grandes negócios”.

Se eles podem debochar de nós, por que os levaríamos a sério?

Reclamam que eu insisto no Fla-Flu, mas isso já era. O que temos agora é um Madureira e Olaria disputado só entre eles para ver quem é pior.

Ou não são para rir os temas sugeridos para um curso pelo próprio Deltan Dallagnol, o pastor das leis, no seu inacreditável diálogo com o Robito, apelido íntimo do procurador parceiro Roberson Possobon?

Vejam que criatividade, que espírito de cidadania, tudo em nome da cruzada anticorrupção, que rende uma bela grana em cursos e palestras:

“Empreendedorismo e governança: seja dono do seu negócio e saiba governá-lo” (o chefe da força-tarefa já mostrou que é mestre no assunto).

“Negociação: domine essa habilidade ou ela vai dominar você” (Deltan aprendeu isso nas negociações para as delações premiadas).

“Liderança: influencie e leve seu time ao topo” (basta fazer aliança com alguns jornalistas devidamente amestrados para conquistar o apoio da opinião pública).

“Ética nos negócios e Lava Jato: prepare-se para o mundo que te espera lá fora” ( esta seria uma contradição em termos, pois ética e Lava Jato são como água e óleo. não combinam).

O mundo lá fora só está esperando que o Supremo Tribunal Federal e o Conselho Nacional do Ministério Público se manifestem sobre este plano de negócios de Deltan & Cia. Bela, engendrado enquanto condenavam e prendiam adversários políticos e destruíam as grandes empresas nacionais.

Até o começo da tarde desta segunda-feira, reina o mais absoluto silêncio nas instituições, que estão gozando de férias regulamentares, como se o país também tivesse parado, de pernas para o ar numa praia.

De um dia para outo, todos os escândalos são esquecidos e somem das manchetes.

Por falar nisso: Moro já sabe onde está o Queiroz? Que providências foram tomadas pela PF para saber quem está por trás do sargento “mula” da cocaína no avião da FAB? Já descobriu quem mandou matar Marielle?

Capitão Bolsonaro, por sua vez, não está preocupado com nada disso.

Agora ele resolveu acabar com o paraíso turístico de Fernando de Noronha e liberar geral para os marombados e madames da seita.

O importante para sua excelência é garantir a nomeação do filho 03 para a embaixada do Brasil nos Estados Unidos, contra tudo e contra todos.

O resto que se dane.

Ainda não falaram para ele que governar o Brasil não é o mesmo que ser síndico de condomínio na Barra da Tijuca.

Vida que segue.

Repórter desde 1964

Fonte: https://www.balaiodokotscho.com.br

Assine nossa Newsletter

Receba em seu e-mail nossas promoções, dicas e muito mais


gow banner p20