‘Governo devia dobrar vagas em vez de atacar universidade’, diz Mercadante

O ex-ministro Aloizio Mercadante, em análise à TV 247, afirma que nunca viu em sua vida tamanho estrago na educação brasileira igual a que o governo Bolsonaro vem produzindo na pasta e destaca a importância da greve geral da educação, que ocorrerá nesta quarta-feira (15), em defesa de educação pública e contra os “cortes devastadores” nas instituições de ensino federais. “Em vez de atacar, o Brasil deveria pelo menos dobrar as vagas nas universidades”, destaca.

O ex-ministro explica que, para além dos cortes promovidos na área, a manifestação desta quarta-feira (15) possui outras reivindicações. “Em defesa do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), pelo piso nacional dos professores e para dizer não à Escola sem Partido”, expõe.

Mercadante também denuncia que “Bolsonaro defende o modelo exclusivamente privado de educação”. “Eu não vejo problema em existir educação superior privada no País, o problema é retirar do MEC os mecanismos que fiscalizam essas instituições, como vem sendo feito desde o governo Temer. Hoje temos mutos cursos a distância e de baixa qualidade”, observa.

Ele ainda afirma que o governo ataca as humanidades, pois elas são “incompatíveis com a imbecilidade e ignorância”. “Eles precisam agredir aquilo que os ameaçam”, conclui.

Brasil 247

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *