Geral

    No Acre, Procon deve fiscalizar estabelecimentos para evitar venda de azeite adulterado

    Instituto iniciou alertando consumidores sobre consumo de azeite que tiveram as vendas suspensas com suspeitas de fraude. Ação ocorre após Ministério da Agricultura suspender a venda de nove marcas de azeite de oliva

    O Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor do Acre (Procon-AC) está alertando os consumidores sobre o risco de consumo de azeite de oliva fraudado. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) mandou suspender a venda de nove marcas de azeite sob a suspeita de fraude na produção.

    A ação do ministério ocorreu após a Polícia Civil do Espírito Santo desarticular, na quarta-feira (11), uma organização criminosa especializada na falsificação de azeites. Na operação, foram apreendidos mais de três mil frascos. Segundo a polícia, o que era vendido como azeite de oliva extravirgem, seria, na verdade, óleo de soja.

    No Acre, o Procon vai iniciar uma ação para fiscalizar os estabelecimentos comerciais sobre a venda dessas marcas que foram proibidas de ser comercializadas.

    Veja a lista das marcas proibidas:

    • Casalberto
    • Conde de Torres
    • Donana (Premium)
    • Flor de Espanha
    • La Valenciana
    • Porto Valência
    • Serra das Oliveiras
    • Serra de Montejunto
    • Torezani (Premium)

    “Na próxima semana vamos notificar os estabelecimentos. Já fizemos uma ação assim ano passado, que também teve uma denúncia com relação a isso. Vamos fazer de novo para não ter esse problema aqui. O alerta é que veja as marcas comercializadas porque tem algumas suspeitas de fraude”, destacou o chefe do setor de fiscalização do Procon-AC, Rommel Queiroz.

    Image
    Image

    logo news2