..::data e hora::.. 00:00:00

Geral

Forte chuva alaga ruas, invade casas e causa queda de árvores em Rio Branco

Defesa Civil de Rio Branco estima que já choveu mais de 30 milímetros na tarde desta segunda-feira (18) na capital. Família da Vila Betel teve a casa invadida pela água durante tempestade.

A forte chuva que atinge Rio Branco na tarde desta segunda-feira (18) já causou alagamentos, quedas de árvores, de muros e enxurradas. Uma família da Vila Betel ficou ilhada dentro de casa após um bueiro da região transbordar e água invadir a residência.

Ao G1, a Defesa Civil Municipal e Corpo de Bombeiros do Acre informaram que a chuva começou por volta das 12h15 desta segunda e já choveu mais de 30 milímetros. Com isso, as equipes foram chamadas em alguns pontos da cidade para atender diversas ocorrências.

As ocorrências foram registradas nos bairros Plácido de Castro, Conquista, São Francisco, Bela Vista, Boa Vista, Chico Mendes e Vila Betel.

A cozinheira Eliane Costa da Silva, de 34 anos, estava em casa com os filhos, de 7, 11, 13 e 14 anos, e o marido quando a água começou a subir. Ela disse que um bueiro que fica na parte de trás do quintal transbordou.

“Chegou no quintal, na casa e na vizinha do lado, que tem a casa bem alta, já está entrando. Me mudei há um mês para cá. Alagou dentro de casa, estamos ilhados”, lamentou.

Ocorrências

O coordenador da Defesa Civil de Rio Branco, major Cláudio Falcão, explicou que moradores ligaram diversas vezes para relatar situações com alagamento. Mais de 30 ocorrências já foram recebidas, sendo quatro de queda de árvores, uma de queda de muro no bairro Plácido de Castro e alagamentos em diversos bairros.

“Não houve machucados, o muro caiu e não machucou ninguém. A maioria das ocorrências é com alagamento, que são também enxurradas, fazemos as orientações para que as pessoas se mantenham em segurança e se o caso agravar a gente envia uma equipe no local”, destacou.

Em quase três horas de chuva, Falcão disse que a tempestade já soma mais de 30 milímetros de água. Sobre as quedas de árvores, o major acrescentou que uma caiu em um igarapé e não precisa de uma remoção imediata, Já as outras sobre caíram sobre fiações elétricas e equipes da Energisa também foram acionadas.

“Essa questão da enxurrada é corrente em toda chuva com grande volume de água tem algumas razões como o descarte de lixo em locais inadequados, que arrasta para os bueiros, a questão da impermeabilização do solo, que são as construções de calçadas dentro de quintais e fechamentos que acabam causando isso”, orientou.

Image
Image

logo news2