Geral

    FIEAC, Acisa e governo discutem alternativas para minimizar impactos do Coronavírus na economia do Acre

    Após o governo do Acre decretar, na última sexta-feira, dia 20, estado de calamidade pública em virtude da pandemia do novo Coronavírus e anunciar uma série de restrições para o funcionamento de atividades industriais e comerciais, A Federação das Indústrias (FIEAC) tem buscado alternativas para minimizar os impactos do Covid-19 na economia local.

    E um avanço importante foi obtido na noite desta segunda-feira, 23, durante reunião entre o presidente da FIEAC, José Adriano, o chefe da Casa Civil do Estado, Ribamar Trindade, a secretária de Fazenda, Semíramis Dias, o secretário de Segurança Pública do Acre, Paulo César, o secretário de Planejamento, Ricardo Brandão, e o presidente da Acisa, Celestino Bento.

    No encontro, além das discussões sobre medidas de saúde para evitar o avanço do Coronavírus no Acre, foi sugerido a criação de um comitê, com representantes do governo e do setor produtivo, para que os setores empresariais não sejam tão impactados com a crise provocada pelo Covid-19.

    “Queremos evitar o crescimento do desemprego no Acre. E nesta reunião tivemos um encaminhamento positivo para que diversos setores da economia possam voltar a trabalhar, mas, obviamente, respeitando todas as condições e orientações de saúde pública, evitando aglomerações, com total proteção ao trabalhador, entre outras normas que serão publicadas em um outro decreto”, detalhou o presidente da FIEAC, José Adriano.

    Além das atividades industriais, os comércios também poderão seguir atuando, porém, somente em formato delivery - de entrega.

    Image
    Image