Geral

    Embrapa Acre mantém atividades na pandemia

    Como medida preventiva para evitar a disseminação do coronavírus, 81% dos profissionais da Embrapa Acre desenvolvem suas atividades de forma remota e 15% estão em sistema de revezamento, para garantir ações essenciais de pesquisa e transferência de tecnologias e o atendimento ao público. A Unidade adotou uma série de medidas para manter o fluxo de atividades durante o regime de teletrabalho e por meio do trabalho alternado em áreas prioritárias.

    Todas as áreas da Empresa estão em funcionamento, priorizando as atividades essenciais. Nas diversas equipes em teletrabalho, os colaboradores cumprem plano individual de atividades de forma remota, com atividades elencadas para o período de quarentena. Para cumprir com os compromissos laborais, empregados e gestores precisaram adaptar o espaço da casa para o home office.  Segundo Eufran Amaral, chefe-geral da Unidade, apesar do distanciamento, a comunicação institucional se fortaleceu, uma vez que as ferramentas digitais favorecem a interação contínua entre as equipes.

    “Mesmo em um cenário adverso como o atual, é possível garantir resultados e metas previstas para a Unidade. “Com o auxílio das tecnologias digitais estamos conseguindo executar uma intensa agenda de trabalho, com reuniões online, videoconferências, seminários, cursos e diálogos de gestão, e avançar com a programação institucional durante a pandemia”, destaca o gestor.

    Pesquisa e gestão de projetos

    A continuidade de ações relativas à gestão de projetos, produção científica e outras atividades relacionadas à pesquisa, durante o período de isolamento, tem sido possível graças ao acesso remoto de sistemas corporativos, como o Ideare. Os pesquisadores também participam de videoconferências e grupos de trabalho, integram bancas de defesa online de teses e dissertações e atuam no planejamento de futuras ações de pesquisa e na produção de artigos científicos e publicações técnicas.

    Já as atividades de campo e laboratórios que não podem ser adiadas são realizadas com base em critérios normativos de segurança, necessários para garantir a saúde das equipes envolvidas. “O trabalho de análise laboratorial é essencial para a pesquisa. Interromper essas ações poderia causar perda de dados ou de materiais importantes para os resultados esperados”, afirma Paulo Macedo, supervisor do Setor de Gestão de Laboratórios.

    No Escritório de Transferência de Tecnologias da Embrapa, em Cruzeiro do Sul, na regional Juruá, as atividades presenciais também estão suspensas, mas permanecem em execução atividades essenciais de pesquisa. “A continuidade das ações em andamento garante o investimento e os dados coletados durante anos de estudos”, enfatiza o analista Daniel Lambertucci, supervisor do escritório da Empresa no Juruá.

    Atendimento ao público

    Desde o dia 23 de março, quando iniciou o teletrabalho na Embrapa Acre, o atendimento ao público externo tem sido realizado por meios eletrônicos e mídias digitais, através do Sistema de Atendimento ao Cidadão (SAC), por e-mail corporativo e Whatsapp. Além de solicitações de públicos distintos do Acre, incluindo produtores rurais, estudantes e técnicos de diferentes setores produtivos, a Unidade recebe demandas técnicas de diversos estados brasileiros, grande parte com foco na área florestal. 

    Por meio do SAC é possível solicitar informações sobre os produtos, serviços e processos tecnológicos da Embrapa e esclarecer dúvidas sobre temas de pesquisa. Os dados do usuário são mantidos em sigilo e o prazo máximo para resposta às demandas é de quatro dias úteis.

    Suporte tecnológico e comunicação

    Para viabilizar o uso efetivo de plataformas digitais na realização das atividades dos empregados, nas diferentes áreas, durante a pandemia do coronavírus, empregados do Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI) da Embrapa Acre trabalham de forma remota no apoio às atividades de pesquisa e no suporte aos usuários, e em escala de revezamento na verificação da estrutura física e dos ativos de Tecnologia da Informação da Empresa. “Remotamente, realizamos atividades de monitoramento tecnológico, desenvolvimento de sistemas e atendimento dos chamados que chegam pela Central de Serviços de TI, por e-mail e via WhatsApp”, afirma o supervisor NTI), Jefferson Lima.

    Além de viabilizar a continuidade de ações de pesquisa, transferência de tecnologias e de gestão da Unidade, esse suporte tecnológico é essencial para manter o fluxo comunicacional entre os colaboradores e com os públicos externos. A Embrapa Acre mantém uma equipe de profissionais de comunicação que atua na editoração e disponibilização de publicações técnicas no portal da Unidade, na divulgação do trabalho da Empresa e atendimento a demandas da imprensa, de forma remota, por meio do e-mail corporativo Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e do telefone (68) 99933-4412.

    Eventos online

    A Unidade também tem se planejado para a oferta de capacitações online, por meio do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) da Empresa. A primeira experiência com capacitação remota aconteceu no mês de maio, com o seminário sobre o uso de drone no mapeamento de palmeiras, realizado no âmbito do Projeto Bem diverso. O evento contemplou palestras, sessão de perguntas e respostas e chat interativo e todo o conteúdo está disponível no e-Campo, vitrine de capacitações online da Embrapa que reúne diferentes eventos oferecidos à distância.

    “Buscamos alternativas para continuar atuando na transferência de tecnologias e uma das soluções viáveis é o uso de plataformas virtuais. Além de contribuírem para a transferência efetiva de conhecimentos, os eventos online atravessam fronteiras, permitindo contemplar um número maior de participantes de diferentes localidades”, explica Amaral.

    Outra forma eficiente para garantir a atuação profissional na pandemia tem sido a realização de lives, eventos transmitidos ao vivo, por meio de plataformas digitais. Pesquisadores de diferentes áreas têm utilizado essa estratégia de comunicação para compartilhar conhecimentos sobre temas de pesquisa como queimadas na Amazônia e alternativas para melhorar a alimentação do rebanho bovino na seca entre outros assuntos. “Nas redes sociais os participantes ficam mais desinibidos para perguntar e fazer comentários. Tem muita troca e essa maior interação é vantajosa para quem está apresentando o evento e para quem participa”, ressalta o pesquisador Carlos Maurício Andrade, um dos profissionais da Empresa que aderiram às lives com uso do Istagram.

    Para debater temas relevantes da pesquisa agropecuária na região amazônica, a Embrapa lançou a série de lives “Amazônia em foco”, iniciativa transmitida pelo Youtube, semanalmente, com a participação de profissionais de diferentes Unidades da Empresa na região e atores dos setores produtivos. Entre os temas com a participação da Embrapa Acre estão o fortalecimento da produção de café na Amazônia e a Bioeconomia e usos múltiplos da seringueira. No dia 3 de julho, pesquisadores e gestores vão debater as estratégias da pesquisa e inovação para promover o desenvolvimento sustentável da Amazônia. O encontro acontece às 10h30 (horário de Brasília, no Acre às 8h30), pelo canal da Embrapa no Youtube.

    De acordo com o pesquisador Judson Valentim, da Embrapa Acre, líder do Portfolio Amazônia, há um paradoxo na Amazônia que envolve a pobreza extrema de populações rurais vivendo em uma das regiões com maior estoque de riquezas naturais do planeta. “O desenvolvimento sustentável da região passa pelo acesso das comunidades a tecnologias que permitam às famílias fazer o manejo florestal sustentável e aumentar a produção agropecuária nas áreas já desmatadas do bioma”, afirma.

    As edições das lives do “Amazônia em Foco” estão disponíveis em:  youtube.com/embrapa.

    Image
    Image
    Image

    logo news2