..::data e hora::.. 00:00:00

Geral

Após Bocalom dizer que alunos de Rio Branco vão ter passagem gratuita, DCE diz que 50 mil podem ser prejudicados

Presidente do Diretório Central dos Estudantes no Acre (DCE), Richard Brilhante, disse que mais de 50 mil estudantes podem ficar prejudicados, se houver mudança

Após o prefeito eleito de Rio Branco, Tião Bocalom, do Progressistas, anunciar que os alunos da rede municipal de ensino vão ter passagem de ônibus gratuita, os vereadores e o presidente do Diretório Central dos Estudantes no Acre (DCE), Richard Brilhante, se manifestaram contra a possível medida.

O presidente do DCE disse que a decisão pode prejudicar mais de 50 mil estudantes, que fazem parte da rede estadual de ensino.

“Nós estamos falando de uma conquista que vem lá de 2013, quando, através de uma luta do movimento estudantil reunindo todos os estudantes, naquela época secundaristas, conquistamos a passagem do estudante a R$ 1. Hoje, o número de estudantes beneficiados representa 70 mil entre os do município da rede estadual e da rede de ensino universitário tanto privado quanto público. Se o prefeito eleito optar em retirar esse benefício, mais de 50 mil estudantes vão ficar sem”, disse.

Durante entrevista à Rede Amazônica nessa quarta-feira (2), quando iniciou os trabalhos de transição, Tião Bocalom tinha afirmado que a prefeitura iria assumir o valor pago pelos alunos da rede municipal.

“Hoje o estudante está pagando R$ 1 pela passagem. O que disse foi que a prefeitura vai assumir o 1 real das passagens dos estudantes da rede municipal. Em momento nenhum disse qualquer coisa diferente disso. Agora, se o estado quiser acabar com esse 1 real dos alunos do estado ele vai acabar. Eu posso falar pelo meu ente que é a prefeitura. Então, alunos da Prefeitura de Rio Branco terão, além do subsídio que já tem, esse outro um real eles não vão pagar. Foi isso que falei, e vou continuar dizendo isso porque o transporte escolar é gratuito, segundo a constituição e nós temos que cumprir o que está escrito”, disse Bocalom.

dce webRichard Brilhante, presidente do DCE, diz que mais de 50 mil estudantes podem ser prejudicados — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Brilhante acrescentou que cerca de 8,5 mil pessoas representam os estudantes aptos a receberem a passagem a R$1 por parte do município.

“Então, a gente espera que seja uma fala equivocada do prefeito eleito e espera ainda que ele tome posse e verifique a situação do transporte público e verifique a questão orçamentária do município que já prevê esse pagamento mensal do subsídio para todos os 70 mil estudantes da rede de ensino”, acrescentou.

Diálogo

O presidente da Câmara, Antônio Moares, também opinou sobre o assunto e disse que primeiramente deve ser feito um estudo junto com o governador para avaliar a situação.

“Tem que ter um planejamento. Sei que vai ter dificuldade a prefeitura, mas já tem mais de seis anos que já vem com esse subsídio de um real. Então, acho que o prefeito tem que se reunir com sua base, com o governador, e achar uma alternativa”, pontuou.

O vereador ainda falou que a maioria dos estudantes não têm emprego e que o subsídio é um incentivo à educação.

“Os alunos não podem ser punidos com a taxa de quase R$ 5. A maioria dos alunos não têm emprego e a família enfrenta dificuldade para pagar essa passagem. É um projeto de lei que passou pela Câmara, então, se for para retirar, tem que fazer um novo projeto e os vereadores é quem vão decidir se continua a R$ 1 ou não”, concluiu.

Image
Image

logo news2