Geral

    Após 7 meses de voos suspensos devido à pandemia, Gol volta a operar em Cruzeiro do Sul

    Retomada ocorreu após batalha judicial com o Ministério Público do estado. Serviço foi retomado nesta segunda-feira (19) como o previsto.

    A Gol Linhas Aéreas voltou a voar para Cruzeiro do Sul nesta segunda-feira (19). A retomada ocorreu após um acordo firmado entre o Ministério Público Estadual (MP-AC) e a empresa ainda em setembro após quase seis meses das operações da empresa estarem suspensas.

    Sem voos para a segunda maior cidade do Acre desde a segunda quinzena de março, não só os empresários que trabalham com turismo amargaram os prejuízos, mas a população também, pois tinham apenas como a alternativa de chegar ou sair da cidade a BR-364 de carro ou ônibus.

    Neste primeiro momento, há voos em quatro dias da semana, mas a Gol garantiu que a partir de 2 de novembro os voos serão diários. Todas as informações estão na página da empresa na internet.

    tabela

    Ação judicial

    Em agosto deste ano, o MP chegou a pedir que companhia aérea fosse multada em R$ 1 milhão por descumprir uma decisão de Justiça em Cruzeiro do Sul para retomada dos voos para o município que tinha sido determinada para o dia 5 de agosto. O MP ainda tinha pedido que a GOL fosse condenada por má-fé e bloqueio diário de contas da empresa.

    Com o acordo feito, a companhia se comprometeu a operar para a cidade de Cruzeiro do Sul até o dia 15 de março de 2022. O MP acrescentou que após esse prazo, cumprido todo o acordo, o processo judicial movido contra a empresa, que resultou em sua condenação na obrigação de não cancelar voos para o Juruá, deve ser arquivado.

    gol 00a webAo pousar, aeronave foi 'batizada' — Fotos: Divulgação/Gol

    Cancelamento de voos

    Os voos para a cidade de Cruzeiro do Sul estão suspensos desde março deste ano, quando foram registrados os primeiros casos de coronavírus no Acre. Desde então, o único acesso ao município tem sido via terrestre, mas o transporte rodoviário também está reduzido.

    O MP entrou com uma ação civil pública no final de julho devido os voos estarem suspensos. A Justiça julgou o pedido procedente e determinou que a empresa retomasse as atividades na cidade.

    Mas, a empresa recorreu e, de acordo com a manifestação do MP, na impugnação que apresentou ao Judiciário, teria alegado que não poderia cumprir a sentença porque tinha feito o cancelamento da rota, ou seja, não possui mais rota para a cidade.

    Image
    Image

    logo news2