Geral

    Governo anuncia reforço na Segurança Pública para combater criminalidade

    O Governo do Estado do Acre divulgou nesta segunda-feira, 20, o conjunto de medidas e ações que serão adotadas por todos os órgãos que compõem o sistema de Segurança Pública para combater a violência e solucionar os recentes episódios envolvendo a fuga de detentos do Complexo Penitenciário de Rio Branco e dos homicídios ocorridos na região da rodovia Transacreana.

    Durante entrevista coletiva à imprensa na Casa Civil, o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) em exercício, Ricardo Brandão, afirmou que o Estado não tem medido esforços para proteger a população. Como exemplo, citou a maior presença das forças policiais nas ruas e rodovias que cortam o Acre, por meio da operação Fecha Fronteiras, e redução de 25% nos índices de crimes contra a vida em 2019, uma das maiores quedas registradas entre todas as unidades da federação.

    Para prosseguir na intensificação do enfrentamento à criminalidade, foi anunciado um grande reforço policial em pontos estratégicos e de maior vulnerabilidade. Todos os policiais de folga estão em sobreaviso e os 250 novos policiais militares, convocados no ano passado, serão utilizados para aumentar o efetivo nas ruas.

    Com o apoio da Polícia Rodoviária Federal e do Exército, novas barreiras serão montadas ao longo das BR’s 364 e 317, principais rotas de acesso ao Acre e aos países vizinhos, Bolívia e Peru. O governo acreano também solicitou ao comando do exército em Rondônia a instalação de um bloqueio na região da balsa sobre o rio Madeira. O mesmo pedido foi feito à secretaria de Segurança Pública do Amazonas para intensificar a fiscalização policial nos municípios de Boca do Acre e Guajará. Com este controle terrestre, o principal objetivo é evitar possíveis fugas de criminosos para outros estados do país.

    321A3536

    “As barreiras constituídas pela operação Fecha Fronteiras surtiram efeito positivo e serão mantidas com o acréscimo de mais aparato policial para que essas barreiras continuem com mais reforço, e as demais ações envolvem buscas e capturas de presos foragidos neste momento, busca e captura de presos que estão com mandado de prisão em aberto e que tenham envolvimento com crimes de homicídios e crimes graves contra a comunidade”, pontuou Brandão.

    Diante da atual situação, o governo já instituiu um gabinete de crise do Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), que só será desfeito quando os casos forem solucionados. O Estado pediu ainda agilidade do Poder Judiciário na análise e emissão de mandados de prisão de pessoas consideradas de alta periculosidade.

    “O Sistema de Segurança Pública já vinha tratando a importância de termos as instituições públicas do estado mais envolvidas com a defesa da população. Mais envolvido com o sentimento de unidade que temos que ter com o cidadão comum e, a partir de agora, dentro do planejamento que a secretaria vem fazendo, estamos procurando chegar cada vez mais próximo da população para compreender suas reais necessidades e dar as respostas que as pessoas precisam”, enfatizou.

    Pela terceira vez, o Acre formalizou à União o pedido de reforço de maior atuação das forças federais no estado. Segundo Brandão, nenhuma solicitação foi atendida. O secretário repudiou a politização em torno de uma possível intervenção federal e expôs que a Força Nacional de Segurança atualmente tem uma base em Plácido de Castro para o combate aos crimes transfronteiriços.

    Fugas do presídio de Rio Branco e homicídios na Transacreana são investigados com prioridade
    Ricardo Brandão esclareceu que todas as medidas cabíveis estão sendo adotadas para recapturar os 26 detentos que fugiram de um dos pavilhões do presídio Francisco D’Oliveira Conde nesta madrugada. O secretário revelou que um dos reeducandos já foi localizado e que as buscas foram intensificadas para encontrar os demais.

    Sobre as circunstâncias do ocorrido, Brandão disse que as corregedorias da Polícia Penal e da Polícia Militar apuram o caso e todos os profissionais que estavam de plantão na unidade prestarão esclarecimentos sobre o episódio. A presença de um promotor do Ministério Público Estadual também foi solicitada para acompanhar o caso. O Estado formalizou ainda o apoio da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) para interceptar conversas entre membros de facções criminosas.

    Nos próximos dias, todos os presídios e unidades socioeducativas passarão por uma rigorosa inspeção em suas estruturas. Assim como a revista de todos os detentos que estão no sistema penitenciário. A principal finalidade é encontrar materiais ilícitos e identificar locais vulneráveis à possibilidade de novas fugas.

    Graças ao trabalho eficiente dos agentes socioeducativos, uma tentativa de fuga foi frustrada neste fim de semana na unidade Aquiry, em Rio Branco. Menores infratores estavam se preparando para deixar o local quando o plano foi frustrado pelos profissionais de plantão.

    Em relação aos assassinatos ocorridos na região da rodovia Transacreana, na noite do último sábado, 18, o gestor expressou sua solidariedade às famílias das vítimas e relatou que a solução do caso vem sendo tratada com prioridade pela Segurança Pública. Até o momento, um dos suspeitos já está preso e as buscas pelos demais envolvidos continuam.

    O policiamento ao longo da estrada foi intensificado com a presença de rondas constantes da polícia Militar e a instalação por tempo indeterminado de uma base do Gefron, grupo especializado em áreas rurais.

    PSX 20200120 112221

    Estado seguirá firme no enfrentamento ao crime e apoio da população é fundamental

    O Governo do Acre tem somado grandes esforços para reduzir a criminalidade e devolver a paz aos cidadãos. Seguindo firme neste propósito, o governador em exercício, Nicolau Júnior, citou as ações que o Estado vem desempenhando para para o fortalecimento da Segurança Pública. Ele lembrou que esta crise não surgiu agora e que o momento pede a união de todos.

    “As ações estão acontecendo por parte da Segurança Pública e as demais instituições estão ajudando. Este é um momento que pede união de todos e o nosso Estado tem total condição de manter a segurança. Importante lembrar que este não foi um problema criado pelo atual governo, e o governador Gladson Cameli fez investimentos importantes para a Segurança Pública com equipamentos e a entrega de mais de 100 viaturas”, ressaltou Nicolau Júnior.

    O secretário de Estado da Casa Civil, Ribamar Trindade, salientou que “o Sistema de Segurança está preparado para combater o crime e o Governo do Estado vai dar o apoio necessário para que a ordem seja mantida e que todos sintam-se seguros.”

    A participação da população é fundamental para auxiliar as forças policiais com informações privilegiadas. Por meio do número 181, qualquer cidadão pode contribuir com a localização de criminosos, armas ou situações suspeitas. A ligação é gratuita e sigilosa.

    “O envolvimento da população neste momento é de grande importância para a Segurança Pública e para ela mesma. Se você sabe onde tem algum suspeito, ou sabe onde tem uma arma, ligue para o 181 e você não terá sua identidade revelada. O sigilo é total”, frisou Ricardo Brandão.

    A entrevista coletiva foi acompanhada pelo delegado-geral da polícia Civil, Henrique Maciel; pelo comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Carlos Batista; pelo subcomandante da polícia Militar, coronel Luciano Dias; e pelo diretor-presidente do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), Lucas Gomes.

    321A3674Secretário Ricardo Brandão explicou todas as medidas adotadas pelo Estado no enfrentamento à criminalidade - Fotos: Marcos Vicentti/Secom

    Image
    Image