Cultura

    Com entrada gratuita, Candeeiro apresenta “Depois de Dora” no Theatro Hélio Melo

    Espetáculo fica em cartaz nos dias 6, 7, 13 e 14 de março e nos dias 3, 4, 10 e 11 de abril

    Uma sucessão de escolhas desmedidas no cotidiano resultam em erros irreversíveis dos quais nenhum de nós está isento, nem mesmo o mais inocente dos homens. A frase sintetiza o enredo de “Depois de Dora”, que estreia nesta sexta-feira (6), às 19h, no Theatro Hélio Melo [anexo ao Memorial dos Autonomistas]. O espetáculo também será apresentado nos dias 7, 13 e 14 de março e nos dias 3, 4, 10 e 11 de abril. O texto sugere reflexões sobre a morte física e ainda em vida, compartilhando experiências e ressignificando a existência humana.

    Por caminhos internos e obscuros, uma turma de quatro amigos estudantes de jornalismo recruta a plateia para juntos explorarem os mistérios da trágica despedida da personagem que dá nome à peça, a controversa Isadora. “Somos nós que vemos o tempo passar ou é ele, o tempo, que nos assiste?”, provoca o diretor Hysnaip Moura, que prepara o elenco de nove atores desde novembro de 2019.

    A dramaturgia é de Nolram Rocha, outro membro-fundador do grupo que acaba de participar da recente temporada de “Roda Viva”, de Chico Buarque de Hollanda, encerrada no fim de janeiro. O convite para atuar no Teatro Oficina (SP), que foi concebido na década de 1960, partiu do teatrólogo Zé Celso Martinez Corrêa – considerado uma lenda viva do tablado brasileiro.

    teatro 002

    arteO fogo é bom!

    O Candeeiro nasceu no curso de Artes Cênicas da Universidade Federal do Acre (Ufac), em 2016, orientado pelo professor doutor Micael Carmo Cortês Gomes. Os artistas valorizam a dramaturgia acreana experimentando textos de veteranos e de jovens autores, além de formarem novos atores e de estabelecerem parcerias capazes de potencializar o fazer teatral independente.

    “Acreditamos nas trocas com o público e nas mudanças de perspectiva a partir do contato com a arte, porque nela existe a possibilidade de um florescer cultural e de luta político-social sem tabus ou censura. Nossa proposta é manter viva as tradições do ofício e somar com os que estão na atividade e com os que virão, reconhecendo aqueles que trilharam caminhos para que pudéssemos seguir até aqui e daqui adiante”, explica a atriz e produtora Jaqueline Chagas.

    A montagem de “Depois de Dora” conta com recursos do Fundo Estadual de Cultura (Funcultura) de 2019 e recebe apoio institucional do governo do Estado do Acre, por meio da Fundação Elias Mansour (FEM). A funerária São João Batista e o gabinete do vereador Rodrigo Forneck, de Rio Branco, também entram como apoiadores do projeto.

    Serviço: Theatro Hélio Melo | Anexo ao Memorial dos Autonomistas | Av. Getúlio Vargas, N⁰ 309, Centro | Tel.: 68 3224-6417

    teatro 003

    FICHA TÉCNICA

    • Texto de Nolram Rocha
    • Direção de Hysnaip Moura
    • Produção de Jaqueline Chagas
    • Ilustração de Augusto Odin
    • Arte gráfica de Weverson Souza
    • Registro fotográfico de Mell Liz
    • Comunicação de André Gonzaga

    ELENCO

    • Melânia Brasil (Marília)
    • Agnê Ferraz (Narciso)
    • Lonara Teixeira (Lúcia)
    • André Gonzaga (Caetano)
    • Jaqueline Chagas (Dora)
    • Jhony Carvalho (Enrico)
    • Aleluia Lima (Genetriz/Corombo)
    • Iandra Moraes (Corombo)
    • Diego Lopes – DK (Corombo)
    Image
    Image