Atletas denunciam que Plácido de Castro tem dívida de quase R$ 22 mil com parte do elenco

Dos 12 contratados de fora pelo Plácido, seis foram embora do Acre com recursos próprios e outro seis aguardam definição – Foto: Manoel Façanha

O Plácido de Castro não conseguiu chegar a nenhuma das semifinais de turno do Campeonato Acreano 2019, ficou fora da decisão do estadual e não garantiu vaga em competição nacional para a temporada 2020. E se dentro de campo as coisas não fluíram como se esperava, fora dele a situação parece estar bem complicada financeiramente.

Alguns jogadores que integraram o elenco do Tigre do Abunã, além do treinador Irani de Almeida, têm dinheiro a receber pelo período em que defenderam o clube durante o estadual. Atletas procuraram o GloboEsporte.com para reclamar do que consideram faltam de repeito e descaso por parte do presidente do clube, Renato Garcia, e relataram o que estão passando, mas pediram sigilo na identidade. Por isso, nenhum nome de jogador será citado neste texto.

De acordo com os jogadores, 12 atletas contratados de fora do Acre, o preparador físico e alguns jogadores locais não receberam um centavo sequer durante o estadual. Ainda há um valor em aberto de R$ 1 mil a ser pago ao treinador. Seis dos jogadores importados e o treinador tiraram dinheiro do próprio bolso para ir embora do Acre, sem mais paciência para aguardar a definição do clube. Os outros seis permanecem em Plácido de Castro, alojados em uma pousada, esperando receber o valor que lhes é de direito. A promessa do dirigente era acertar com os atletas até 28 de abril.

Segundo informações obtidas pela reportagem, a soma total do que há de pago aos atletas e preparador físico é de aproximadamente R$ 22 mil. Os jogadores que seguem no Acre demonstram insatisfação e insegurança com a situação, já que não têm condições de ir embora e estão perdendo oportunidades de mercado, além da incerteza sobre o recebimento do dinheiro.

– As pessoas ligam para ele e ele não atende. Não falou nada. Eu mesmo entreguei nas mãos de Deus. Ele está querendo ganhar tempo, eu acho. Enrola demais – diz um atleta.

Há relatos de jogador que precisou tirar dinheiro das economias guardadas para pagar pensão dos filhos, por não ter recebido o dinheiro acordado quando negociou o contrato com o Tigre do Abunã. O GloboEsporte.com teve acesso a áudios em que o presidente do Plácido de Castro garante que está trabalhando para agilizar uma solução para a situação. No entanto, os atletas destacam que não há nenhuma efetiva resolução na prática por parte do dirigente.

– Ele sempre falando que ia nós pagar, ia mandar nós embora, mas é um cara mentiroso. Ele não paga e não nos manda embora, não está nem aí se temos família ou não. É um cara safado, mau caráter, mentiroso. A fama dele na cidade é de caloteiro. Não está nem aí pra nós, fala que vai nos pagar e mandar embora desde a metade do mês passado e até agora nada. Jogo futebol profissional desde os 17 anos e tive o desprazer de jogar com essa gestão que trabalhei – dispara outro jogador.

– Tô bem irritado. Quero muito ir embora, tenho dois moleques pequenos que precisam de mim. Já perdi emprego por causa dele, só que ele não está nem aí – diz atleta do Plácido de Castro.

O GloboEsporte.com tentou contato com o presidente Renato Garcia nesta quarta, quinta e nesta sexta-feira, no entanto, o dirigente não atendeu às ligações e nem retornou até a publicação desta matéria.

Globoesporte.com/ac

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *