Assembleia Legislativa do Acre realiza sessão solene em alusão ao “Maio Amarelo”

A Assembleia Legislativa do Estado do Acre (ALEAC) realizou nesta quinta-feira (16) uma sessão solene em Alusão ao “Maio Amarelo”, cujo tema é: No trânsito, o sentido é a vida! A solenidade foi proposta pelo deputado Gehlen Diniz (PP) através de um requerimento aprovado em plenário pelos parlamentares. O movimento acontece no mundo todo e tem como objetivo chamar a atenção da sociedade e do poder público para a violência no trânsito que tem ceifado muitas vidas. A campanha está em sua 6ª edição.

Este ano, para divulgar a campanha, foram criadas peças publicitárias protagonizadas por crianças para ser a assinatura da campanha nacional do Maio Amarelo com a hashtag #MEOUÇA levando os adultos a uma reflexão sobre o sentido da vida. O Movimento é chamado de Maio Amarelo porque o amarelo simboliza atenção e também a sinalização e advertência no trânsito.

Ao fazer a abertura da sessão, o presidente em exercício do Poder Legislativo, deputado Jenilson Leite (PC do B), destacou a importância da campanha para a população. “Diariamente pessoas morrem vítimas de acidentes de trânsito no Estado, infelizmente, esse índice ainda é muito alto. A campanha Maio Amarelo traz uma válida reflexão sobre a importância da vida. Espalhar ações de conscientização é necessário e o Poder Legislativo não podia ficar de fora desse importante evento”, disse.

O autor do requerimento que viabilizou a sessão, deputado Gehlen Diniz, disse que como policial rodoviário federal viu de perto os estragos que os acidentes de trânsito causam na vida das pessoas. Ele destacou que atualmente 60% dos leitos ocupados nos hospitais são de pessoas que foram vítimas de acidentes de trânsito.

“Em junho completo vinte anos como policial rodoviário, já vi muitas cenas tristes de acidentes e sei exatamente a importância da educação e conscientização para prevenção desses desastres. Em um ano perdemos 37 mil vidas nas vias do país. 60% dos leitos nos hospitais são ocupados por vítimas de acidentes. Esses números podem mudar, mas para isso precisamos mudar a consciência das pessoas”, pontuou.

Para o professor da Ufac, membro e representante Titular da Comissão Vida no Trânsito do Estado, Crezo Lopes, a união das instituições é necessária para fortalecer as ações voltadas à segurança no trânsito.

“Nós precisamos da união de todos para podermos desenvolver políticas e ações voltadas para a segurança no trânsito. Sou membro da Comissão Vida no Trânsito do Acre e há muito tempo tenho me dedicado a essa causa, realizando palestras e pesquisas sobre os acidentes de trânsito no Estado. Temos muito o que avançar para reverter esses altos números, mas a luta não pode parar”, disse.

Simonarde Lima, diretor de Operações da Polícia Rodoviária no Acre e comandante do Batalhão de Trânsito no Estado frisou que a maioria dos acidentes de trânsito ocorrem durante o dia, quando o tempo está bom e a pista limpa. “Isso é muito preocupante, mas é o que de fato acontece e é claro que está vinculado ao excesso de velocidade. Nós temos que mudar esta realidade e isso não é só uma responsabilidade minha como comandante, mas de todos nós”, enfatizou.

Já a representante do Movimento Maio Amarelo no Acre, Gabrielly Farias, disse se sentir honrada de representar o Estado num momento tão importante. Ela agradeceu ainda o espaço oferecido pela Aleac para debater o assunto.

“O Maio Amarelo é um movimento internacional e é a primeira vez que o Acre tem um representante, fiquei muito honrada de ter sido a escolhida. O movimento já atingiu 29 países e conta com o apoio de 1.425 empresas. O nosso trabalho é muito importante, as pessoas precisam se conscientizar e fazer a seguinte reflexão: quanto vale correr o risco de exceder a velocidade? De beber antes de dirigir ou, de usar o celular no trânsito? A consciência é necessária”, afirmou.

O comandante-geral da Polícia Militar, Ezequiel Bino, falou sobre sua motivação para se tornar um militante por um trânsito mais seguro. Ele destacou que se comparado ao índice de mortes resultantes de quedas de avião, os acidentes de trânsito matam, infinitamente, mais.

“Minha história como militante por esta causa iniciou quando assumi o Batalhão de Trânsito na capital. Sempre que cai um avião o espanto é grande, principalmente, quando relacionado ao número de mortos. Infelizmente, os acidentes de trânsito acabaram se tornando comuns, e por mais que mate muito mais, já não causa espanto. Precisamos trabalhar a conscientização das pessoas”, disse.

O diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/Ac), Luiz Fernando Duarte, ressaltou que 1,35 milhão de pessoas morrem a cada ano em decorrência de acidentes de trânsito. Acrescentou também que se nada for feito, estima-se que em 2020 um milhão e novecentos mil pessoas terão suas vidas ceifadas no trânsito.

“O Brasil é um dos países recordistas em acidentes de trânsito. Este movimento tem uma proposta de chamar a atenção da sociedade civil para este problema. Os trabalhos de engenharia, educação e fiscalização realizados pelo Detran, têm contribuído para diminuirmos o número de acidentes, porém ainda precisamos superar muitos desafios. ”

Durante a solenidade, foram realizadas apresentações musicais sobre a importância da consciência no trânsito. Os participantes também puderam assistir a um vídeo institucional apresentado pelo diretor presidente do Detran, que foi produzido através de depoimentos de vítimas de acidentes de trânsito, e de pessoas que perderam familiares.

O diretor e presidente do Detran, Luiz Fernando, pediu ainda o apoio dos parlamentares para incluir a disciplina Educação no Trânsito na grade curricular das escolas de ensino básico.

“Fizemos esse encaminhamento na Câmara Municipal de Rio Branco e agora estamos fazendo aqui. É necessário incluir as escolas nesta luta, precisamos do apoio desta Casa neste sentido”, pontuou.

O que os deputados disseram:

Antonia Sales (MDB)

“Quero parabenizar o deputado Gehlen Diniz por ter trazido este debate para esta Casa, este assunto é muito importante e deve ser discutido por todas as instituições. Nós perdemos muita gente para o trânsito e essa realidade precisa mudar, nós precisamos valorizar mais a nossa vida. Nós temos também que chamar a atenção dos nossos gestores, a responsabilidade não é só do motorista, a falta de manutenção das nossas ruas também facilita os acidentes”.

Cadmiel Bonfim (PSDB)

“Este Poder se solidariza com esta campanha que tem por objetivo salvar vidas. Fiquei emocionado ao ver o vídeo, inclusive, um primo meu participou da elaboração. Ele foi vítima de um acidente e precisou amputar uma perna para ter sua vida salva. Tudo por conta de uma imprudência de um motorista no trânsito. Parabenizo os autores deste projeto, a educação é o caminho. ”

Roberto Duarte (MDB)

“Os depoimentos ouvidos aqui foram importantes para promovermos a conscientização nas pessoas. Essa consciência sobre o Maio Amarelo tem que partir de nós mesmos. A prevenção começa pela gente. Confesso que já errei muito no trânsito, mas no trânsito é proibido errar. Quando passamos a vigiar nossos atos, passamos a dar início a uma mudança de comportamento. ”

Edvaldo Magalhães (PCdoB)

“Parabéns por esta iniciativa. Este é um tema que salva vidas. Ainda estamos distante de elevarmos o padrão de consciência de como nos conduzir no trânsito. Mudei minha opinião acerca da rigidez das regras no trânsito. Vidas são subtraídas pela irresponsabilidade de condutores e se faz necessário mudar isso. ”

Mircléia Magalhães e Andressa Oliveira

Agência Aleac

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *