Artigos

    PT - 40 anos. (insistindo na juventude)

    “...Acolho o futuro de braços abertos,
    Citando Cartola: eu fiz o que pude.
    Aos 50 anos, insisto na juventude.”
    (50 Anos - Cristovão Bastos/Aldir Blanc)

    A poesia do Aldir Blanc que o Cristovão Bastos musicou é, no meu sentir, a que melhor expressa o que é o PT, que completa no dia de hoje, 40 anos de existência, de resistência e de lutas, sempre ao lado do nosso povo.

    Com a máxima vênia, permito-me discordar de Tarso Genro, que disse numa entrevista para o UOL que o “PT ficou obsoleto” e que não iria a festa dos seu 40 anos no Rio. Ele perdeu uma grande celebração, que apontou para um renovar-se de esperanças e para o protagonismo que o partido continua a exercer na sociedade brasileira.

    É certo que não acompanhamos a contento as mudanças ocorridas no mundo do trabalho e na sociedade em geral. A dinâmica dessas mudanças, pela sua velocidade e inovação, atropelou muitos atores sociais, inclusive o nosso partido. Mas sobrevivemos as escoriações.

    Ademais, nesses 40 anos, nunca tivemos um momento de trégua por parte de nossas elites e seus meios de comunicação de massa. Elas sempre amplificaram os nossos erros e equívocos, construindo, diuturnamente, uma narrativa que tentou carimbar o PT como uma organização criminosa e a POLÍTICA como uma coisa nefasta. Fracassaram.

    Ao longo dessa trajetória de 4 décadas, não conseguimos consolidar uma HEGEMONIA social, mas temos a aceitação de cerca de 30% da sociedade brasileira. Somos uma referência democrática e partidária.

    Esse fato nos impôs estabelecer alianças com outras forças políticas, que nem sempre foram no campo programático/ideológico. Dormimos, muitas vezes, com o inimigo ao nosso lado. Inimigos de classe. E contemporizamos com eles.

    Em que pese todos esses fatores desfavoráveis ao PT, conseguimos construir uma força política que nos possibilitou derrotar, eleitoralmente, por 4 vezes, contra tudo e quase todos, as forças políticas conservadoras e chegarmos ao governo central. Em 2002, o povo deixou de servir aos poderosos, como eleitor, e elegeu Lula, um representante da classe trabalhadora. Apostaram no seu fracasso para governar e se deram mal.

    Mesmo com todas as concessões que Lula fez ao andar de cima, ele conseguiu colocar o pobre no orçamento e implementar políticas sociais e compensatórias de transferências de renda. Nossas políticas foram exitosas. Um êxito, que as nossas elites não toleraram e articularam o golpe que se consumou em 2016, com o impeachment de Dilma Rousseff.

    Aqui no Acre, o PT teve a sua experiência de governo, que considero a mais exitosa do Brasil. Mudamos a cara do Acre e de Rio Branco em 20 anos de governos ininterruptos no Estado e 20 de governos intercalados na Prefeitura de Rio Branco. E o nosso maior legado é ter resgatado a autoestima do nosso povo – ORGULHO DE SER ACREANO!

    Fizemos muito no Brasil e no Acre, mas ainda há muito por fazer. É uma construção inacabada e, ainda com a agravante, de estar sendo destruído o pouco que fizemos.

    Encerro com as palavras do Jorge Viana, que carinhosamente, escreveu na contra-capa do meu livro sobre o PT: “...Olhando para trás, vamos reencontrar o caminho dos nossos sonhos e reinventar nosso projeto. Vamos continuar servindo àqueles que mais precisam de nós.”

    E aos que dizem que o PT ficou obsoleto e envelheceu, conclamo-os a lerem o nosso MANIFESTO DE FUNDAÇÃO e a CARTA DE PRINCÍPIOS de 1º de maio de 1979, do Partido dos Trabalhadores.

    Alguns trechos da CARTA:

    - “A sociedade brasileira vive hoje, uma conjuntura política altamente contraditória e, sob muitos aspectos decisiva quanto a seu futuro a médio e longo prazos...”

    - “O Partido dos Trabalhadores denuncia o modelo econômico vigente que, tendo transformado o caráter das empresas estatais, construídas pelas lutas populares, utiliza essas empresas e os recursos do Estado, em geral, como molas mestras da acumulação capitalista.”

    - O PT proclama que sua participação em eleições e suas atividades parlamentares se subordinarão a seu objetivo maior, que é estimular e aprofundar a organização das massas exploradas.”

    - “O PT afirma seu compromisso coma democracia plena, exercida diretamente pelas massas, pois não há socialismo sem democracia nem democracia sem socialismo.”

    Esses textos continuam atualíssimos, dá até a impressão que foram escritos a semana passada. Conclamo a militância a beberem nessas fontes e se municiarem para os embates que se avizinha.

    Insistamos na juventude!

    Rio Branco (AC), 10 de fevereiro de 2020


    *Marcos Inácio Fernandes (71 anos) é Secretario de Formação do PT/DM de Rio Branco

    Image
    Image

    Assine nossa Newsletter

    Receba em seu e-mail nossas promoções, dicas e muito mais