Altas Habilidades é tema de curso realizado pela Educação

Curso é direcionado a profissionais da educação e acadêmicos dos cursos de licenciatura – Foto: Mardilson Gomes Ascom/See

A Divisão de Ensino Especial da Secretaria de Estado da Educação (SEE), por meio do Núcleo de atividades de Altas Habilidades/Superdotação (NAAH/S), promove o curso “Conhecendo as Altas Habilidades”. Voltado a profissionais da educação e acadêmicos dos cursos de licenciatura, a formação tem carga horária de 40h, acontece na sede do NAAH/S-AC, anexo ao Dom Bosco e, atualmente, conta com uma turma de 50 participantes.

O NAAH/S oferece serviços especializados no que se refere ao atendimento dos alunos com altas habilidades e tem como objetivo identificar e acompanhar esses alunos nas escolas, além de disseminar informações e conhecimentos sobre altas habilidades por meio de cursos, palestras, projetos e ações.

O núcleo oferece ainda orientação aos professores do Atendimento Educacional Especializado (AEE) nas escolas, favorecendo a suplementação aos alunos identificados, colaborando para a construção da educação inclusiva e de qualidade.

Segundo a Coordenadora do NAAH/S-AC, Thaís Galdino, a importância de reconhecer o aluno com superdotação dentro do meio educacional nas escolas, na família, na sociedade, tem a necessidade de valorizá-los, reconhecer os potenciais. “Eles só têm a acrescentar na área educacional, econômica e social. Temos alunos que estão sendo reconhecidos fora do estado e até mesmo fora do país. A valorização precisa acontecer aqui também, e a escola tem que ter esse olhar sensível para o aluno em potencial porque não é só a deficiência, existe também a eficiência. E é esse trabalho que nós fazemos de identificação e de orientação a esses alunos, pois eles apresentam características próprias que precisam ser trabalhadas”, explicou.

Durante 12 anos de história a NAAH/S já identificou mais de 100 alunos com altas habilidades/superdotação mas a expectativa é que esse número seja ainda maior. Levar o tema às escolas em forma de palestras, cursos para a comunidade e profissionais da educação é mais uma forma de identificar esses alunos e preparar as escolas para recebê-los melhor.

“Esse curso está me ajudando muito porque muitas vezes você se depara com determinadas situações que não são do seu cotidiano. O curso está me oportunizando a ter a forma correta de lidar com aquele aluno. Que venham outras experiências para que eu saiba lidar e tenha a possibilidade de trabalhar, detectar na escola as crianças com superdotação. Vamos ser o elo entre a escola e o NAAH/S para identificarmos esses alunos”, disse a profª Vera Lira, mediadora na escola Padre Carlos Casavecchia.

“O curso é para apresentar as altas habilidades/superdotação, que ainda é um tabu, são muitos mitos e verdades voltadas para a educação e a gente tenta desmistificar essa ideia. Mostra como podemos tratar o aluno que tem altas habilidades, como podemos estimular e potencializar essa habilidade desse aluno. O curso é para as pessoas que estão envolvidas na educação, para saber acolher e orientar esses alunos”, comentou o prof. Sávio Gomes, professor do NAAH/S.

O MEC define alunos superdotados como aqueles que demonstram elevado potencial intelectual apropriando-se e dominando de maneira superior à média de seus pares (conforme série/idade), novos conhecimentos, procedimentos e atitudes.

Agência Notícias do Acre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *