A marca do artilheiro: contra o Inter, Fred, do Cruzeiro, vai completar 700 jogos na carreira

Camisa 9 tem 699 partidas disputadas como profissional, por América-MG, Cruzeiro, Lyon-FRA, Fluminense, Atlético-MG e seleção brasileira – Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

O jogo deste domingo, contra o Internacional, será especial para Fred. A partida no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, às 16h (de Brasília), pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro, será a de número 700 do camisa 9 como profissional. Em 699 jogos disputados na carreira, por cinco clubes (América-MG, Cruzeiro, Lyon-FRA, Fluminense e Atlético-MG) e pela seleção brasileira, o atacante marcou 385 gols, com média de 0,55 gol por jogo.

O Fluminense foi o clube em que Fred mais atuou, com 288 partidas. No Cruzeiro, foram 106 partidas, em duas passagens (2004/2005 e desde 2018), com 58 vitórias, 19 empates e 28 derrotas, além de 76 gols marcados. Pela Raposa, foram três títulos conquistados: o bicampeonato mineiro (2018 e 2019) e a Copa do Brasil (2018).

O camisa 9 é o maior artilheiro em atividade na Copa do Brasil, com 34 gols marcados, além de ser o maior goleador da história do Campeonato Brasileiro desde que o formato de pontos corridos foi adotado, em 2003, com 142 gols marcados.

Após sofrer uma grave lesão nos ligamentos do joelho direito, que o tirou de combate por seis meses no ano passado, Fred teve um ótimo início de 2019 com a camisa do Cruzeiro. Em 20 jogos, balançou as redes 16 vezes. O camisa 9 ainda deu cinco assistências.

Terminou o Campeonato Mineiro como artilheiro, com 12 gols em 12 partidas, média de um gol por jogo. Além disso, é o goleador cruzeirense na Copa Libertadores, com quatro gol marcados em cinco jogos disputados.

O gol mais importante marcado nesta temporada, até aqui, foi na decisão do Campeonato Mineiro, contra o Atlético-MG. Como o rival havia feito melhor campanha na fase de classificação, o Cruzeiro precisava inverter a vantagem atleticana na final, uma vez que o Atlético jogava pelo empate na soma dos resultados dos dois jogos. O time cruzeirense venceu o primeiro duelo, no Mineirão, por 2 a 1, e jogava pelo empate a segunda partida, no Independência.

Após sair atrás no placar, com gol de Elias, na primeira etapa, Fred teve a chance de empatar a partida em um pênalti, aos 34 minutos do segundo tempo. E não desperdiçou. Mandou a bola para a rede e garantiu o bicampeonato mineiro para a Raposa.

Globoesporte.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *