Vídeo não sofreu alterações e homem tem características compatíveis com Doria, diz perito

A perícia analisou desde estudo de proporção do rosto, largura das coxas e panturrilha e o vídeo, onde se concluiu que não foram feitas alterações e nem manipulações

Parecer técnico realizado nesta quinta-feira (25) em vídeo onde, supostamente, aparece o ex-prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), em situação embaraçosa, com algumas mulheres, concluiu que o material “não foi adulterado e nem alvo de qualquer manipulação”. Além disso, o laudo aponta ainda que a pessoa gravada no vídeo tem suas características compatíveis com as de Dória, cujas fotos foram analisadas.

Leia o laudo completo aqui: Laudo Pericial

A análise do vídeo, que circulou em diversos grupos de WhatsApp a partir da última terça-feira (23), foi feita pelo perito Onias Tavares de Aguiar, formado pela Academia de Polícia de São Paulo e perito criminal do Estado de São Paulo entre os anos de 1982 e 2007.

O trabalho analisou desde características físicas do candidato a governador João Doria, como largura das coxas e panturrilha como também o vídeo, com detalhamento quadro a quadro, onde se concluiu que não foram feitas alterações e nem manipulações.

Foi feito também o estudo de “proporção da distância entre olhos e lábios com sorriso” e a conclusão foi: “As convergências de características são suficientes para confirmar a real compatibilidade entre o físico do personagem masculino que aparece no vídeo questionado e as imagens de João Dória não sendo possível descartar por completo que seja a mesma pessoa”.

O relatório conclui que “corroboram com esta conclusão outras convergências de características físicas entre o protagonista questionada no vídeo e João Dória, tal como formato da cabeça, contorno do rosto, abdômen e peitoral”.

Doria desmentiu

A Fórum recebeu o vídeo, com conteúdo íntimo, em vários grupos, mas decidiu não publicar por respeito ao público e ao processo eleitoral. O vídeo, no entanto, tem força para impactar e criar polêmica entre eleitores de Dória, especialmente o eleitorado mais conservador, que o tucano tenta atrair sinalizando apoio a Bolsonaro. As imagens já circulam em grupos de whatsapp contestando a fidelidade de Dória e o discurso dele sobre a família.

A Fórum entrou em contato com a assessoria de João Dória que, de antemão, afirmou que o vídeo é fake e que “medidas legais” serão tomadas. A assessoria do candidato ainda disse que prepara um posicionamento oficial de Doria sobre o vídeo.

A assessoria de Doria responsabilizou seu adversário, Márcio França (PSB), pela divulgação do registro. As informações são do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

Nota da assessoria de Márcio França

A assessoria de imprensa da campanha do candidato Márcio França ao governo de São Paulo repudia de forma veemente a acusação feita pelo candidato João Doria de envolvimento na divulgação de um vídeo que circulou nesta tarde (23), nas redes sociais.

A denúncia é tão grave quanto a violência da qual João Doria é vítima.

Márcio França repudia esse tipo de campanha, as fake news, as montagens e as falsificações e, acima de tudo, qualquer tipo de ataque pessoal a quem quer que seja.

Camilo Christófaro

O vereador por São Paulo Camilo Christófaro (PSB) divulgou em seus grupos de whatsapp o vídeo e, na sequência, gravou um novo vídeo em que diz: “Esse WhatsApp que vocês receberam do Camilo sobre essa baixaria não é invenção do Camilo. Isso está sendo posto na internet por uma das meninas que não recebeu o cachê do João Doria no swing”.

Revista Fórum