Vereador acusa colega de parlamento de agredi-lo durante reunião e caso vai parar na delegacia

Ronaldo Onofre (PDT) prestou queixa na delegacia de Cruzeiro do Sul contra o vereador Marivaldo Figueiredo (PP) – Foto: Mazinho Rogério/G1

O vereador Ronaldo Onofre (PDT) prestou queixa na delegacia de Cruzeiro do Sul, interior do Acre, contra o vereador Marivaldo Figueiredo (PP), por acusações de agressão física que teria sofrido durante uma reunião, nesta sexta-feira (19), no gabinete do prefeito.

Figueiredo é da base de apoio do prefeito Ilderlei Cordeiro e teria ficado revoltado quando o vereador Onofre se posicionou contra a demissão de servidores municipais e o anúncio da cobrança de taxas para a coleta de lixo.

A reunião foi convocada pelo prefeito com a finalidade de explicar aos vereadores sobre os motivos da demissão de 200 servidores provisórios da prefeitura.

Além dos que já foram demitidos, o município, que gasta 61% com folha de pagamento, ainda precisa desligar mais 200 trabalhadores para atender a Lei de Responsabilidade Fiscal. Onofre começou a discordar da decisão da prefeitura, o que teria causado a revolta por parte de Figueiredo.

“Eu me posicionei sobre essas demissões e sobre as cobranças que o gestor municipal quer criar. Ele quer intensificar cobranças de taxas de limpeza pública e multas e isso eu não concordo. De repente, ele partiu pra cima e já foi me enforcando. Eu não sei o motivo”, acusa Onofre que foi à delegacia às 12h desta sexta para fazer a denúncia.

De acordo com Onofre, foi preciso a intervenção do presidente da Câmara, Romário Tavares, e de outros vereadores para conter os ânimos do colega de parlamento. O vereador afirma ainda que já teria sido ameaçado de agressão outra vez.

Durante uma sessão, em abril deste ano, os dois parlamentares teriam se desentendido na tribuna e, de acordo com Onofre, Figueiredo teria tentando agredi-lo e foi contido por seguranças. “Inclusive ele disse que se me visse na rua, ia brigar comigo. Mas, eu não sou um homem de violência. Sou uma pessoa de uma cultura diferente”, disse Onofre.

O vereador Marivaldo Figueiredo nega que teria chegado a vias de fato, mas, afirma que se defendeu de acusações feitas por Onofre.

“As acusações do vereador são levianas. Já não é a primeira vez que acusa que eu o agrido. Ele tem esse negócio e nunca provou que houve agressão. Ele gosta muito é de inventar. Eu jamais agredi o vereador Ronaldo fisicamente. O que ele faz é me agredir verbalmente e eu só me defendo. Ele leva a política para o lado pessoal e se engraçou de mim e sempre está com essa manobras para me prejudicar”, contesta figueiredo.

Figueiredo alega que estaria sendo perseguido por Onofre e, por isso, já teriam se desentendido outras vezes. Ele diz também que se sente perseguido pelo colega de parlamento.

“O que vejo nele é que, desde o começou do meu mandato, ele não aceita que um cara como eu que vem lá de dentro do povão tenha tido oportunidade. Ele acha que política e ser vereador é só para quem tem condições financeiras altas como ele”, indaga.

Portal G1/AC