Workshop na Ufac aborda uso de patentes em pesquisas

A Universidade Federal do Acre (Ufac) recebeu a visita de um dos maiores especialistas em inovação, patentes e informações tecnológicas do Brasil, nesta segunda-feira, 13. Sócio-diretor da empresa Axonal Consultoria Tecnológica, Henry Suzuki atendeu a um convite do programa de pós-graduação em Sanidade e Produção Animal Sustentável na Amazônia Ocidental para ministrar o workshop “Tecnologia e Inovação: Introdução a Patentes”.

Para a plateia composta por estudantes e professores, Suzuki apresentou parte dos módulos 1 e 2 do workshop, sobre uso estratégico de patentes em projetos de pesquisa e desenvolvimento de negócios, que ele leva a universidades, centros de pesquisa e grandes empresas do país inteiro.  “Minha missão é ajudar pessoas e empresas a criar de forma estratégica, proteger suas criações e ganhar dinheiro com elas”, contou.

Durante as seis horas de apresentação do programa, o consultor revisou fundamentos sobre patentes e sua aplicação prática em negócios, tratou do uso estratégico de patentes e informações patentárias; também apresentou fontes, sistemas de busca e análise de informações gratuitos sobre o tema.

“Temos muitos exemplos, no Brasil, de instituições, de todas as naturezas, que estruturaram seus núcleos de inovação tecnológica [NITs], infelizmente, de uma forma muito burocrática”, analisou. “Na Ufac, não há um NIT; mas há tempo para fazer essa estruturação, com chance de se começar da maneira correta, cumprindo a missão de levar tecnologia para a sociedade, aproximando-a da universidade.”

Presente na solenidade de abertura do workshop, o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Josimar Batista, destacou que a universidade tem investido no avanço da pós-graduação. “Atrelado a isso, é importante valorizar inovação, constituição e geração de patentes próprias para criarmos, aqui mesmo, uma vocação entre alunos e pesquisadores acreanos”, disse. “Daí a importância da presença de profissionais de expertise no assunto, como Henry Suzuki.”

Para o coordenador do evento, professor Yuri Karaccas, a discussão do tema é uma forma de incentivar o empreendedorismo entre estudantes e pesquisadores. “O curso é importante por mostrar que é possível desenvolver patentes, transformar ideias e invenções executadas na universidade em dinheiro”, ponderou. “Isso permite que possa ser desenvolvido o empreendedorismo na universidade, com a expectativa de que, uma vez patenteados, os projetos possam melhorar a situação do Estado com um todo.”

Ascom Ufac