Transcendência

Foto: Reprodução Internet

Lorena de Cáritas Dantas Tuma

Nada é como antes.
Somam-se as cãs,
Aos passos hesitantes.

Não sabia o que podia,
E quando o soube,
Já era noite, já era tarde,
Já não obedecia, o corpo,
A dor sufocava a vontade.

A busca da razão,
De coisas que sempre foram,
E sempre serão,
Sufocou a emoção,
Fez a vida ser em vão.

Agora, no fim,
A vaidade frustrada,
Que o tempo devora,
O pensamento aflora:

Há de se transcender
A pretensa sabedoria,
Que objetiva e reduz,
Porque a vida é poesia
Provoca e seduz!

Arquiteta e urbanista