Sete dias sem reclamar de nada

Por Valdeci Duarte (*)

Esta semana fiz um propósito pessoal por 7 dias. Para garantir o cumprimento solicitei ajuda da minha esposa que passou a ser testemunha. Foi importante firmar o compromisso, já que acordos pessoais comigo mesmo são facilmente rompidos. Sou bom de fazer negócios com os outros, pois me esforço para honrar o compromisso, mas comigo mesmo geralmente tenho dificuldade de cumprir.

Eu precisei ter coragem para assumir um compromisso tão importante como esse. Não há uma saída fácil para o crescimento espiritual que não passe por uma doação pessoal. O renovo de mente é uma excelente saída para quem deseja ir além, em seus projetos e propósitos de vida. Reconheço que preciso avançar em melhorar as minhas atitudes do dia a dia em busca de sucesso nas muitas demandas e isso só será possível com atitudes como esta, recheadas de gratidão e motivação para não reclamar das circunstâncias.

Estou vivendo um tempo fora do meu quadrado e isso é uma experiência incrível. O meu quadrado é a minha zona de conforto que tem sido o melhor lugar para ficar, sorrir e ser feliz. Mas como distribuir risadas e ser feliz quando ao redor existem muitos choramingando atenção, um prato de comida, uma passagem de ônibus, um balde de água, uma palavra de conforto ou um analgésico para aliviar a dor?

Para mim tem sido dias de boas descobertas. Só quando saí da minha comodidade é que descobri o quanto sou privilegiado. Eu tenho uma vida rodeada de bênçãos: filhos alegres, saudáveis e cheios de vida; uma esposa virtuosa, disposta a ouvir a voz de Deus e caminhar ao meu lado, superando as dificuldades familiares; um cachorro forte e inteligente que me reconhece de longe, bons amigos a quem posso contar. Outra coisa, sou abençoado por ter pai e mãe vivíssimos e por perto.

Sete dias sem reclamar de nada é um antídoto para a ansiedade que tenho vivido nesses dias. Esta foi uma solução que encontrei para muitos dos problemas pessoais e coletivos que tenho protagonizado. Agora tenho a solução. Ela passa pela resistência em permanecer calado quando tudo e todos me incitam a falar, expor a minha razão, a minha verdade, o meu jeito de macho sabido. Essa atitude de respondão é sinônimo de fraqueza. O que Deus procura são homens que saibam obedecer a sua orientação ao invés de resolver as coisas na força do braço.

Na política, na religião, no futebol, na pescaria, ou seja lá no que for, em meu dia a dia, muitas e muitas vezes o que menos importa é a minha razão. É difícil eu não querer enfiar a minha razão goela abaixo dos meus ouvintes em cada uns desses temas polêmicos, porém eu reconheço que a minha verdade está longe de ser a verdade dos outros.

Por fim, após a minha rápida avaliação eu decido me manter caldo e tentar ouvir mais para, quem sabe um dia, chegar a ser alguém que fale algo que interesse mais aos outros e menos ao meu rei-umbigo.

(*) Valdeci Duarte é autor, membro da Sociedade Literária Acreana.