Rio Branco estuda promover atletas que disputaram Copa SP ao profissional

Carlinhos Farias avalia participação do Rio Branco na Copa São Paulo e dispara: “Campanha deprimente” – Foto: Nathacha Albuquerque

A delegação do Rio Branco que participou da campanha que terminou com a 126ª posição na Copa São Paulo de Futebol Júnior 2018 desembarcou no Acre na noite da última quarta-feira (10). Após o mau desempenho da equipe na competição, o gestor de futebol do clube, Carlinhos Farias, diz que o momento é de deixar os atletas descansarem da viagem desgastante para depois tomar decisões sobre o futuro deles.

Como parte do elenco estava apenas emprestado ao Estrelão, apenas os que tem vínculo com o clube deverão se reapresentar em data ainda a ser definida. A direção do Alvirrubro estuda a possibilidade de aproveitar alguns nomes no elenco profissional para esta temporada.

– A grande maioria dos atletas é de outros clubes. Com os do Rio Branco vamos conversar, tem alguns que vão compor o elenco para treinamentos. Vamos ver quais são os jogadores que tiveram regularidade. Chegaram de viagem quarta, foi muito cansativa. Vamos deixar eles descansarem um pouco e depois vamos conversar com alguns que nós temos interesse de fazer parte do profissional. Para esse calendário 2018 a ideia é ter 25 atletas à disposição. Hoje a gente define quais jogadores serão aproveitados – diz.

Carlinhos Farias não economizou nas palavras ao avaliar a participação do representante acreano na Copinha. O Rio Branco teve a segunda pior campanha de um clube do estado na história da competição, superado apenas pelo Juventus-AC na temporada 2009.

– A gente tem que ser honesto. Foi uma campanha muito ruim. Para um clube que quer expor seu produto, a Copinha é uma espécie de balcão de negócios. Literalmente não é isso, mas os clubes de pequeno porte como o Rio Branco, o que a gente olha é de ter algum jogador que possa ser comercializado. Minha avaliação é que esse ano houve muitos problemas, as coisas foram feitas muito corridas até porque o Rio Branco não tinha um elenco próprio para disputar a Copa São Paulo. Mas em termo de resultado, de buscar objetivo dentro da competição é muito difícil. Isso aí tem que ter, no mínimo, um ano de trabalho, uma sequência de base sub-15, sub-17. É um trabalho que tem que ser feito ano a ano, com mais estrutura, mais treinamento, com comissão técnica completa. A campanha do Rio Branco esse ano foi simplesmente deprimente. A gente não tem que justificar as coisas. Foi muito abaixo do esperado – completa.

Globoesporte.com/ac