Qual a sua desculpa para não pedalar?

Valden Rocha

Com a falência dos modelos de desenvolvimento das políticas urbanas, que levam a escassez dos recursos naturais, condenando dia a dia a saúde do planeta e de seus habitantes, a sociedade começa a se organizar a fim de propor novos rumos.

Os projetos mais inovadores, muitos deles de baixo custo e grandes impactos, estão sendo apresentados pela sociedade civil organizada, que visa dar um basta nesse modelo de desenvolvimento destrutivo adotado em todo o planeta.

A frase: “pensado globalmente, agindo localmente”, que marcou a Conferência das Nações para o Meio ambiente e Desenvolvimento, a Rio 92, foi absorvida como um mantra por vários ativistas, que contribuem para a promoção de projetos mais humanizados e sustentáveis. O objetivo? Brecar o avanço das políticas predatórias.

Na coluna de hoje, quero dar destaque para um desses projetos que começou timidamente em 2010, na cidade de São Paulo, e que em julho deste ano deu as caras por Rio Branco. Trata-se dos Bike Anjos.

A iniciativa vem de um grupo de ciclistas, que preocupados com a expansão do uso de veículos motorizados e de uma urbanização voltada quase, que exclusivamente, para um modelo de locomoção segregador, fortemente induzido pelas grandes fábricas de automóveis, propõem inserir na pauta desenvolvimentista a importância da utilização da bicicleta no cenário urbano.

O projeto Bike Anjo saiu da cidade de São Paulo e, hoje, está presente em várias cidades do Brasil, em outros países da América Latina e Europa. Inicialmente, a proposta parecia muito simples: ensinar crianças, jovens, adultos e idosos a pedalar gratuitamente.

coluna_2

De maneira muito astuta, o Bike Anjo auxilia no processo de aprendizagem de quem quer pedalar e, com as conversas de “pé de orelha”, vai plantado as sementes necessárias para um futuro menos poluído e mais sustentável.

A corrente do bem, Bike Anjo, caracteriza-se por ser uma rede orgânica, espontânea, colaborativa e voluntária, que difunde os benefícios da bicicleta e se define como realizadora de sonhos.

A atividade mais difundida pelo projeto é, sem dúvida, as Escolas Bike Anjo. Paralelo a isso, outras realizações de promoção de um estilo de vida voltado ao uso dos transportes ativos, nesse caso a bicicleta, vêm sendo realizadas, como é o caso do “De Bike ao Trabalho” – inspirado pelo Bike to Work Day, que se concretiza anualmente em vários cantos do mundo. O Dia Mundial Sem Carro, celebrado em 22 de setembro, estimula a locomoção sustentável nas cidades.

Na capital acreana, os organizadores promoveram sua primeira Escola Bike Anjo (EBA), no dia 31 de julho. As atividades serão promovidas todo último domingo de cada mês. O calendário completo e mais informações sobre a proposta do projeto podem ser conferidas pelo site bikeanjo.org. Também estamos nas redes sociais, pela página do Facebook www.facebook.com/bikeanjoriobranco.

E agora, qual sua desculpa pra não ir pedalar?