PSB define apoio a Haddad, mas libera diretórios em SP e DF. PTB apoia Bolsonaro

Foto: Reprodução

Em reunião da cúpula do PSB em Brasília, na tarde de ontem, o partido definiu que irá apoiar o ex-prefeito de São Paulo e presidenciável do PT, Fernando Haddad, no segundo turno da corrida presidencial. Os caciques do PSB decidiram liberar os atuais governadores de São Paulo e do Distrito Federal para manter posição neutra. O partido não teve candidatura ao Palácio do Planalto e manteve a neutralidade no primeiro turno.

Haddad também terá o apoio de Guilherme Boulos (Psol), 10º lugar na corrida presidencial, e João Goulart Filho (PPL), que terminou o primeiro turno em 13º, na lanterna da disputa pelo Palácio do Planalto. O deputado Jair Bolsonaro (PSL), por sua vez, terá o apoio do PTB.

O PTB do ex-deputado Roberto Jefferson apoiou Geraldo Alckmin (PSDB) no primeiro turno. Na nota assinada por Jefferson, que preside a sigla, o partido declara acreditar que Bolsonaro “trabalhará para que o nosso país volte aos trilhos do desenvolvimento social e econômico, e pela pacificação e união do povo brasileiro”.

Do PSB, Marcio França assumiu o governo de São Paulo após a renúncia de Alckmin, que concorreu à presidência da República. França apoiou o tucano no primeiro turno e já declarou que ficará neutro na disputa nacional.

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, também poderá se manter neutro diante da disputa federal. Rollemberg disputa o segundo turno contra Ibaneis (MDB).

O pessebista passou para o segundo turno e disputará o Palácio dos Bandeirantes contra o tucano João Doria (PSDB), que já anunciou apoio a Bolsonaro.

Neutralidade

O Novo e o PP decidiram a neutralidade na disputa nacional em segundo turno. As siglas divulgaram nota durante a tarde de ontem (terça, 9).

O Novo, apesar da neutralidade, declarou em nota ser “absolutamente contrários ao PT, que tem ideias e práticas opostas às nossas”.

Na nota do PP – um dos principais partidos do chamado “centrão” da Câmara –, assinada pelo presidente Ciro Nogueira, senador reeleito pelo Piauí, o partido declara compromisso com a democracia, com a estabilidade econômica e social e com as garantias fundamentais.

“O Progressistas adotará uma postura de absoluta isenção e neutralidade no segundo turno das eleições presidenciais. Faz convicto de que essa é a melhor contribuição que pode oferecer ao debate”, declara a nota.

Fonte: Congresso em Foco

PSDB decide se manter neutro no segundo turno

O PSDB decidiu se manter neutro durante o segundo turno da eleição presidencial, que será decidida em 28 de outubro entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

“O PSDB decidiu liberar seus militantes e seus líderes. Não apoiaremos nem o PT nem o candidato Bolsonaro”, anunciou nesta terça-feira (9) o presidente da sigla, Geraldo Alckmin, que ficou em quarto lugar na disputa atrás de Ciro Gomes (PDT).

A decisão foi tomada durante reunião da Executiva do partido em Brasília. Segundo Alckmin, os diretórios estaduais do partido estão livres para votar em quem quiserem, desde que seus membros o façam em “caráter pessoal”.

Fonte: Congresso em Foco