Presidente da Fecomércio/AC recebe visita do senador Jorge Viana

Parlamentar discutiu com os representantes comerciais as principais demandas da categoria – Foto: Assessoria Fecomércio

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços, e Turismo do Estado do Acre (Fecomércio/AC), Leandro Domingos, juntamente com a diretoria da instituição, recebeu, na tarde de ontem, a visita do senador Jorge Viana (PT/AC). A intenção do parlamentar era discutir com os representantes comerciais as principais demandas da categoria para, efetivamente, trazer melhorias à classe.

Domingos aproveitou para exaltar o trabalho de parlamentares que, de fato, atuam ativamente para alcançar resultados positivos. Destacou, ainda, a necessidade de se buscar apoios para o crescimento do Estado.

“Quem conheceu o Acre há vinte anos sabe o quanto que esse Estado cresceu. Mas somos conscientes de que muito ainda precisa ser feito para que possamos ter um Estado forte e produtivo de fato. Como empresário e defensor da categoria do comércio no Acre, gostaria de dizer que temos uma carga tributária muito pesada em nosso Estado. Nossos empresários pagam valores altos para poder manter seus negócios em pleno funcionamento”, disse o presidente.

Domingos disse ainda que outra questão preocupante e que traz inúmeros prejuízos para os empresários do comércio é a questão da segurança pública. “Essa questão da segurança pública é um caso sério, não somente no Acre, mas em todo o país, e algo precisa ser feito para isso possa melhorar. A estrutura da Policia Federal no Acre é insuficiente. Precisamos ter um programa para financiar a segurança semelhante ao Sistema Único de Saúde que financia os gastos da saúde pública. O que sei é que algo precisa ser feito para conter essa insegurança que vivemos nos dias de hoje”, comentou.

Jorge Viana agradeceu a oportunidade de ouvir às demandas. “Anotei todos os pontos importantes referentes aos conflitos empresariais acreanos e pretendo apresentá-los à tribuna do Senado. O cenário econômico é preocupante, e precisamos estar todos unidos, já que essa é uma crise não apenas na economia, mas também política. Temos de nos planejar e estar juntos”, reiterou.

Da Assessoria