Prefeita sanciona reajuste da tarifa de ônibus, que entrará em vigor na quinta-feira

Por Leandro Chaves – A prefeita de Rio Branco Socorro Neri sancionou nesta sexta-feira, 8, o reajuste da tarifa de ônibus aprovado no início da semana pelo Conselho Municipal de Transportes. A medida será publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) na segunda e o aumento passa a vigorar na quinta.

Os usuários da bilhetagem eletrônica pagarão R$ 3,80 contra os R$ 3,50 desembolsados desde o último aumento, em março de 2017. A gestora explicou que o valor já era R$ 3,80 desde o ano passado, mas a prefeitura repassava os 30 centavos às empresas, conforme a lei nº 2.224.

A partir da semana que vem, o subsídio, que também vale para quem paga a passagem com dinheiro, deixará de existir. A prefeitura defende que, na teoria, o preço da passagem ficou congelado para quem usa o sistema eletrônico. Três em cada quatro passageiros são usuários do cartão. Quem não usa a bilhetagem deverá desembolsar R$ 4 para passar pelas catracas.

A passagem estudantil permanecerá R$ 1. Ao contrário do que aconteceu à tarifa comum, o subsídio de R$ 0,90 centavos para esse caso será mantido pela prefeitura e sem reajustes.

Neri afirmou que os valores definidos pelo conselho foram revisados por ela após o governo federal anunciar queda de R$ 0,46 no preço do litro do diesel como forma de atender a uma das reivindicações dos caminheiros que estiveram em greve por 11 dias em todo o país.

“A câmara técnica refez o estudo e apresentou ao conselho, que aprovou a tarifa de R$ 4, sendo que todos aqueles que estejam ou que queiram estar inseridos na bilhetagem eletrônica permanecerão pagando a tarifa atual, de R$ 3,80, que é justa”, defendeu a prefeita.

Na reunião do conselho, a proposta de reajuste na tarifa venceu por sete votos favoráveis contra quatro. Votaram sim ao aumento o Sindicato das Empresas de Transportes Coletivos (Sindicol), Federação do Comércio (Fecomércio/AC), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA/AC), Conselho Regional de Contabilidade (CRC/AC), Sindicato dos Trabalhadores de Transporte de Passageiros e Cargas (SINTTPAC), Sindicato dos Motoristas, Mototaxistas e Condutores Autônomos (Sindcac) e Federação das Indústrias (Fieac).

Apenas a União Municipal das Associações de Moradores (Umarb), Diretórios Centrais de Estudantes do Ensino Superior (DCEs), Associação dos Servidores Municipais (Assemurb) e o representante dos Estudantes Secundaristas votaram contra o reajuste da tarifa.