PMDB que ‘abre os braços’ para receber filiação de Márcio Bittar é apontado pela PF como ‘organização criminosa’

Já é anunciado com grande pompa o ato de filiação de Márcio Bittar ao PMDB, partido que, segundo a PF apresenta ‘fortes indícios’ de atuar como uma organização criminosa.

Em nota a PF afirma que “concluiu na data de hoje (11/09), o inquérito 4327 do Supremo Tribunal Federal, instaurado para apurar crimes supostamente praticados pelo chamado grupo do “PMDB DA CÂMARA”, onde ficou comprovado indícios da prática do crime de organização criminosa.” (Leia Mais)

Segundo o colunista da Folha de São Paulo, Josias de Souza, a ala de Temer dentro do PMDB, tem dois tipos de políticos: os que estão presos e os que tem foro privilegiado. (Leia mais)

A grande ‘estrela’ do evento de filiação será a figura conhecidíssima de Romero Jucá, líder do governo Michel Temer.

Farão falta Cunha e Geddel. Ambos presos.

O evento deverá contar ainda com a presença do ex-prefeito de Brasiléia, Aldemir Lopes, preso pela mesma PF durante a Operação Metástase em julho do ano passado. (Leia Mais).

A PF também deflagrou este ano, a chamada Operação Abaçaí, que investiga desvios de recursos na saúde indígena no Acre, pasta indicada pelos deputados peemedebista Flaviano Melo e Jéssica Sales.

Além é claro, de Vagner Sales, cujo patrimônio inexplicavelmente multiplicado nos últimos anos é objeto de inquéritos e investigações por parte do MPF. Vagner é réu em cerca de 15 processos.Parte deles por enriquecimento ilícito. Por essa razão, em julho do ano passado, a justiça federal determinou o bloqueio de parte de seus bens. (Leia Mais)

Resta saber o quão ‘à vontade’ Márcio Bittar irá se sentir em meio aos seus novos correligionários.

Seu antigo colega de partido e adversário, Major Rocha (PSDB), já mandou o recado: ‘não vou em festa vigiada pela PF’.

Leandro Altheman, jornalista