Operação Hefesto: Polícia Federal prende suspeitos de fraudar licitações de publicidade na Aleac

Dell Pinheiro*

Com o objetivo de desarticular um grupo criminoso que fraudava contratos públicos no âmbito da Assembleia Legislativa do estado do Acre (Aleac), a Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 13, a Operação Hefesto. Foram cumpridos 24 mandados, sendo sete de prisão e 17 de buscas e apreensão, nos municípios de Rio Branco, Xapuri e Sena Madureira. Os investigados responderão pelas práticas de peculato, corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa, fraude à licitação e falsidade ideológica.

O delegado Vitor Negraes, responsável pelas investigações, explicou como foi articulada a operação.

“A operação visa o combate à corrupção e ao desvio de recursos públicos. O grupo atuava praticando diversas fraudes. Até o momento identificamos fatos envolvendo apresentação de notas fiscais fraudulentas para que o desvio de recursos fosse praticado. É importante registrar que as pessoas envolvidas nesse crime foram trazidas a Polícia Federal para serem ouvidas. Houve também tentativa de suborno a funcionários da Justiça do Trabalho justamente para tentar esconder ou ocultar esses desvios”, salientou Negraes.

De acordo com a PF, a operação teve início quando membros do esquema criminoso, que agiam fraudando licitações de publicidade da casa legislativa no estado do Acre, buscaram aliciar servidores públicos para que impedissem a atuação dos órgãos fiscalizadores. Mais de 80 policiais federais participaram da fase ostensiva da investigação.

Sobre o nome dado a operação

Hefesto, na mitologia grega, é tido como Deus do Trabalho, responsável por construir boa parte dos equipamentos dos Deuses do Olimpo. O batismo da presente Operação Policial é uma referência direta ao local onde surgiu a informação que desencadeou a apuração dos atos ilícitos investigados.

*dell.81@hotmail.com