Operação da PF combate pornografia infantil na internet no Acre e em outros Estados

Os investigados responderão pelos crimes de posse, compartilhamento de arquivos de pornografia infantil, com penas que variam de 1 a 6 anos de reclusão – Foto: Cedida

Por Dell Pinheiro – dell.81@hotmail.com – Foi deflagrada ontem, pela Polícia Federal (PF), a Operação Cabrera. O objetivo da ação, que ocorre em 17 Estados mais Distrito Federal, é de conter o compartilhamento e a posse de imagens e vídeos de pornografia infantil na internet por meio de redes sociais, e-mail e aplicativos de mensagens.

Cerca de 370 agentes cumpriram 93 mandados de busca e apreensão, além de duas prisões preventivas e uma condução coercitiva. As investigações foram coordenadas pela Unidade de Repressão aos Crimes de Ódio e Pornografia Infantil da Polícia Federal (URCOP).

A operação está em andamento no Acre, Amazônia, Amapá, Brasília, Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

De acordo com a PF, todos os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de posse, compartilhamento de arquivos de pornografia infantil, com penas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente e no Código penal Brasileiro que variam de 1 a 6 anos de reclusão.

Operação Cabrera

O nome da operação presta homenagem a Araceli Cabrera Sánchez Crespo, uma menina brasileira de 8 anos que foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada em 18 de maio de 1973, crime que até hoje permanece impune. Posteriormente, a data ficou instituída como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”.