Nota atribuída ao Comando Vermelho responsabiliza policiais por mortes no Preventório

Segundo o que foi repassado aos policiais, na localidade havia uma disputa por território entre duas facções rivais que disputam o domínio do tráfico – Foto: Ac24horas.com

O crime parece mesmo estar a cada dia mais organizado no Estado. Uma nota de esclarecimento, supostamente emitida por membros do Comando Vermelho, circulou na manhã desta terça-feira (15) em grupos de mensagem fazendo duras críticas à forma com a qual os policiais como Batalhão de Operações Especiais (Bope) teriam entrado na última segunda-feira, dia 14, no bairro Preventório.

Procurada pela reportagem para falar sobre as acusações dos criminosos da forma de atuação na ocorrência da noite de segunda, a Polícia Militar negou que tenha iniciado disparos e explicou também que a criança já estava ferida quando as guarnições chegaram à comunidade. A informação é ainda de que os militares já estavam na região durante o dia e que saíram de lá no fim da tarde.

Durante a ação que teria sido um confronto de facções rivais, uma menina de 11 anos morreu, e dois outros homens ficaram feridos. Além deles, um policial militar teria sido atingido na região do tórax, e só não ficou ferido porque estava de colete à prova de bala. Nesta terça-feira, dia 15, após divulgação da ocorrência pela imprensa, os criminosos se manifestaram, jogando a culpa sobre a polícia.

Em nota, os membros do CV destacam: “Tudo o que aconteceu foi que o BOPE chegou na comunidade atirando para todos os lados, enquanto houve o tiroteio do BOPE nenhum dos moradores entraram em confronto com eles para que essa chacina ocorresse (sic). O que houve na realidade foi que o BOPE fez uma chacina e criou toda uma farsa para que a população acreditasse”, relata o texto.

Ainda segundo a nota atribuída a fação que estaria em guerra com o Bonde dos 13, “os moradores da comunidade estão perplexos com essa farsa que o BOPE criou para assassinarem de forma brutal moradores e uma criança”. Eles completam falando sobre a menina de 11 anos que era estudante e estava dentro de casa com a família quando foi atingida pelos tiros que tiraram a vida dela.

Em mensagem enviada a reportagem de ac24horas, a Polícia Militar destaca que “uma guarnição do Bope, que estava próximo, no momento do acionamento via 190, chegou rápido e foi recebida com disparos contra a guarnição, que revidou (…) uma facção veio do Segundo Distrito, atravessando o rio, e começou a efetuar disparos contra as residências”, diz a PM rebatendo os criminosos.

Segunda: uma noite de terror

Um tiroteio que aconteceu na noite de segunda-feira (14), na rua Rio Grande do Sul, no bairro Preventório, deixou três mortos. De acordo com informações de populares, o tiroteio começou por volta das 17h30. Segundo o que foi repassado aos policiais, na localidade havia uma disputa por território entre duas facções rivais que disputam o domínio do tráfico na região.

Os membros de uma das fações teriam chegado ao local e barco e subiram o morro da Rua Rio Grande do Sul, já efetuando disparos em direção a duas residências no Bairro Preventório. Ainda de acordo com a polícia, eles passaram o dia patrulhando o bairro após receber em um vídeo em que jovens criminosos aparecem segurando armas de grosso calibre a beira do barranco.

Pouco depois que a polícia saiu o tiroteio começou e os policiais retornaram para fazer a intervenção. No total, dois homens ainda não identificados e uma criança de 11 anos morreram. Outras duas pessoas ficaram feridas, sendo eles: Francisco Vitor Junior, de 21 anos – e Raimundo Lacerda, de 26 anos.

Fonte: Ac24horas.com