‘Não se aboleta nem bichos do jeito que eu tenho visto’, diz Cármen Lúcia sobre presídios do país

Presidente do Supremo Tribunal Federal anunciou o avanço do projeto “Brasil para a paz”, que tem como um dos pilares o tratamento digno aos presos – Foto: Cristina Boeckel/G1

Em palestra na Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj), na manhã desta segunda-feira (19), a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, afirmou que a situação do sistema penitenciário brasileiro é de “uma gravidade desoladora”.

“São 650 mil pessoas sem liberdade, mas também sem identificação clara. Não se aboleta nem bichos do jeito que eu tenho visto”, afirmou Cármen Lúcia.

Durante o pronunciamento, manifestantes protestaram contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, erguendo cartazes que pediam a anulação do julgamento. E a ministra não se furtou a comentar os protestos.

Cartazes com críticas ao STF são exibidos durante o discurso da ministra Carmen Lúcia na Emerj (Foto: Cristina Boeckel/G1)
Cartazes com críticas ao STF são exibidos durante o discurso da ministra Carmen Lúcia na Emerj – Foto: Cristina Boeckel/G1

“O direito se manifesta na democracia. Eu vivi um tempo em que não se podiamos nos expressar. Estamos em um lugar onde podemos nos expressar livremente”, destacou a presidente do STF.

A ministra participa do evento “Brasil para a paz”, junto com o arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Dom Orani Tempesta, e os desembargadores Milton Fernandes, presidente do Tribunal de Justiça do RJ, e Claudio de Mello Tavares, corregedor-geral de justiça. Também participaram das discussões a primeira-dama do RJ, Maria Lúcia Horta Jardim e outras autoridades da área jurídica.

G1