Minha infância partida

Lorena de Cáritas Dantas Tuma

Nasci aos 50 anos,
No meio da vida.
Não sei se um dia fui infante,
Ou se a infância foi perdida.

Pois sempre carreguei esse peso,
O peso da terra dividida,
Os rancores dos ancestrais,
A herança da terra maldita.

A face não correspondia à alma,
O rosto não correspondia à palma,
Os pés não atendiam aos passos
E as cargas superavam os braços.

Não sei se foi eu que perdi, se me roubaram,
Se me escapou, a infância e sua graça.
Porque por desgraça, mal nasci,
E a vida já se me faz escassa.

Arquiteta e urbanista