Militares também repudiam declarações de Sérgio Petecão e cobram coerência do senador

Depois do governador Tião Viana e do secretário de Polícia Civil, Carlos Portela, emitirem nota em repúdio ao pronunciamento do senador Sérgio Petecão (PSD) sobre a Segurança Pública do Acre, nesta terça-feira, 10, na tribuna do Senado, é a vez do comando das forças militares também se manifestarem em nota. Como nas anteriores, o teor é de repúdio e condenação ao conteúdo da fala do senador, que consideram como oportunista e despropositada.

A nota é assinada pelos coronéis Marcos Kimpara, comandante da Polícia Militar, e Carlos Batista, comandante do Corpo de Bombeiros Militar do Acre.

Os dois oficiais contestam os dados apresentado por Petecão e cobram coerência dele, já que, durante os seus oito anos de mandato, praticamente foi omisso na propositura de “soluções e/ou ideias que pudessem contribuir com o fortalecimento das instituições que combatem o crime no Estado, exceto no presente momento em que se avizinham as eleições”.

Veja, abaixo, a integra da nota:

Nota de repúdio

Os Comandantes-Gerais da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Estado do Acre vêm a público repudiar a declaração do senador Sérgio Petecão durante pronunciamento na tribuna do Senado Federal, na última terça-feira, 10, em que ataca as forças de segurança do Estado afirmando que os índices criminais no Acre são alarmantes e que o Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP) está atuando no seu limite, sem alcançar resultados.

Nesse sentido, reforçamos a necessidade de unir forças em torno da Segurança Pública. Neste momento, palavras de enfraquecimento em nada contribuem com o nosso trabalho. Ainda nesse norte, causa-nos estranheza que o parlamentar, durante seu mandato de oito anos, nunca apresentou soluções e/ou ideias que pudessem contribuir com o fortalecimento das instituições que combatem o crime no Estado, exceto no presente momento em que se avizinham as eleições.

Na contramão do que foi dito pelo senador Petecão, destacamos que a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, juntamente com as demais forças, estão desenvolvendo diversas atividades e soluções para combater o crescimento da criminalidade no Estado. Entre elas, salientamos as operações Álcool Zero, Longo Alcance, Visibilidade e Fronteira Segura, integrada com as polícias peruana e boliviana. Estão sendo implementadas, ainda esta semana, a Ronda nos Bairros e o Policiamento de reforço na área comercial, com aporte de efetivo inclusive do serviço administrativo.

Não descuidamos também das ações e soluções preventivas que já desenvolvemos por meio do PROERD, Banda Mirim, Guarda Mirim, Bombeiro Mirim e os Colégios Militares, ações que trarão resultados no médio e longo prazos na construção de uma sociedade mais justa, responsável e ordeira, frisando que os comandos das corporações e dos Batalhões e Unidades Especializadas estão liderando pessoalmente suas tropas nas ruas e bairros.

Somente neste ano de 2018, de janeiro a junho, a Polícia Militar, por meio das suas operações e atividades, já recuperou 601 veículos, realizou o cumprimento de 368 mandados de prisão, conduziu 5.708 pessoas às delegacias de polícia e realizou 166.040 abordagens a cidadãos e veículos, tendo apreendido mais de 1.200 armas de fogo e brancas.

Por fim, nós, operadores de segurança, não achamos justo imputar todos os problemas da segurança à atuação das polícias, que estão diuturnamente no combate à criminalidade e defesa da sociedade, sendo que essa luta perpassa por todos os poderes e instituições.

Finalizamos com a fala do comandante do BOPE, major Assis dos Santos: “Este momento de crise vai passar e as pessoas que você conhece irão perguntar: durante a crise, você fez o quê? Eu não sei você, mas eu direi: orei a Deus, vesti a farda, me equipei e fui para o combate! Agora eu pergunto: o que você fará? A qualquer hora, a qualquer preço! Idealismo como marca de vitória!”.

CEL. PM Marcos Kinpara
Comandante-Geral da PMAC
CEL. BM Carlos Batista
Comandante-Geral do CBMAC