Funcionário disfuncional

Reprodução

Lorena de Cáritas Dantas Tuma

O funcionário na era digital
É uma besta profissional.
Disfuncional, às vezes, falha,
Nem sempre trabalha,
Mas sempre come,
Constante é a sua fome.

Disfuncional,
Sob o sol se fatiga,
Não se aguenta em pé,
E quando se assenta,
É a costa dolorida.

Nem sempre útil nos dias úteis,
Menos dado ao trabalho,
Mais ao lazer e às coisas fúteis.

Sua programação mental
O faz tão frágil e falido,
Tão cheio de desejos,
De emoções e de libido,
Que ao longo de sua vida
É pai, ou pior, engravida.

E como se não bastasse,
No horário de trabalho,
Prolonga o almoço, intervalo,
Amingua o lucro, o erário,
E ainda por cima,
Exige férias e 13º salário.

Entre o equipamento digital,
Ineficiente com suas rótulas ósseas,
Contrastando com o circuito de metal,
Sobre ele se rotula:
Maquinário disfuncional.

Arquiteta e urbanista