FORA TEMER

Jackson Viana (*)

Como que pode rato dar a humano
Vida de porco, condená-lo à lama?
Onde que está a boca que reclama?
Já foi roída em pouco mais de um ano?
Será que tem proteção do Ibama?
Não pode por veneno à rataria?
Já me roeu a aposentadoria,
Falta roer os pés da minha cama!

Quero comprar algumas ratoeiras,
Ficarão onde roem amiúde:
Vou por na educação, por na saúde,
De isca as nossas contas financeiras.
Quero prendê-los pra depois jogá-los
Nos seus ninhos devidos, pô-los fora
Da casa que é do povo. Está na hora
De ver ratos de volta para os ralos!

Se desejam milhões, somos duzentos!
Não deixemos que estes peçonhentos
Na casa que é do povo se acomodem!
Os cidadãos de bem é que não podem
Render-se nunca ou fraquejar agora!
Abramos nossa boca, este é o momento!
Tendo o aval ou não do parlamento,
Aponta para o Temer e grita “Fora!”.

(*) Presidente da Academia Juvenil Acreana de Letras – AJAL.