Fora do compasso

Foto: Agência Senado

Já virou mantra na oposição a assertiva segundo a qual o senador Gladson Cameli (PP), pré-candidato ao governo estadual nas eleições do ano que vem, tem ensaiado dar passos maiores que as pernas.

Luz vermelha

E com a indicação do empresário Eduardo Veloso como vice de Gladson, ficou patente que os líderes oposicionistas precisam se preocupar com os rumos da disputa majoritária.

Ensaio

Enquanto o ex-deputado Marcio Bittar, pré-candidato ao Senado da República pelo PMDB, dizia no Juruá que acreditava na hipótese de que o aliado do PP convidaria para a chapa, na condição de vice, Tião Bocalom (DEM) ou o coronel Ulysses (Patriotas), Gladson abria as portas ao PSDB e ao PR com indicação de Veloso.

Desagrado geral

A indicação, tal qual um balde de água fria na cabeça dos caciques da oposição, não agradou a ninguém.

Quanto menos expressivo, melhor!

Não obstante ser médico, Eduardo Veloso deve seu sucesso pessoal ao comércio, onde se destacou como homem de negócios. Fora isso, ele não tem expressão política alguma – coisa que parece agradar ao senador, imbuído talvez da ideia de que quanto menos expressivo seu vice for, tanto melhor para si mesmo.

Muitos erros com uma cajadada

Enquanto acirra os ânimos com o DEM, Patriota e o Livres – graças às queixas públicas de Tião Bocalom contra seus métodos de cooptação política –, Gladson consegue cometer vários erros numa só tacada.

Fatal

O primeiro dos equívocos do senador do PP já foi apontado aí acima. O segundo é tratar o DEM como um partido nanico e Bocalom como um dirigente partidário qualquer. Em uma eleição de dois turnos, isso pode ser fatal.

Mês de festas

O terceiro erro de Gladson é ter anunciado o seu vice em pleno mês de festas de fim de ano. Ninguém se deu conta de Eduardo Veloso, a não ser pelo que lhe falta, em termos de qualidade, para figurar de vice.

Só se pensa naquilo…

A repercussão do assunto na blogosfera (fraquíssima por sinal), pode ser explicada pelo clima natalino. O papo na rede é só festança…

Pactos anticorrupção

O procurador de Justiça Sammy Barbosa participou ontem (4), no auditório da Procuradoria Geral da República, em Brasília (DF), da assinatura dos pactos em favor do combate à corrupção.

Todos a bordo

Os três pactos assinados envolvem o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), o Ministério Público Federal (MPF), o Conselho Nacional de Procuradores-Gerais de Justiça dos Ministérios Públicos dos Estados e da União (CNPG), a Associação Nacional do Ministério Público de Contas (AMPCON) e o Conselho Nacional de Procuradores-Gerais de Contas (CNPGC).

Todo o Brasil

Os pactos têm como objetivo principal combater a corrupção e a improbidade administrativa, além de defender o aperfeiçoamento da democracia. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, participou do evento, que contou ainda com a presença de representantes dos MPs estaduais.

Mais aumento

O preço do gás de cozinha deverá subir 8,9% a partir de terça-feira, 5, conforme anúncio feito ontem pela Petrobras. Com a série de reajustes feitos neste ano, o botijão já acumula alta de 68%.

Pode ser pior

Como nada está tão ruim que não possa piorar, a estatal petrolífera admite que o aumento foi anunciado sem levar em conta a incidência de tributos, o que significa que se for integralmente repassado ao consumidor, o preço do botijão de gás de cozinha pode ser reajustado em até 4% – ou cerca de R$ 2,53 por botijão.

Campanha pró-mesário

O Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE) lançou ontem, 4, a campanha “seja um mesário voluntário”. Já está disponível na página do TRE na internet o “Portal do Mesário”, cujo objetivo é incentivar os cidadãos a se voluntariarem à prestação dos serviços eleitorais nas mesas receptoras de votos e outros relacionados às eleições.

Endereço eletrônico

Segundo a assessoria de imprensa do TRE acreano, o portal pode ser acessado pelo seguinte link: http://www.tre-ac.jus.br/eleitor/portal-do-voluntario/mesario.

Ressalva

O órgão ressalva, porém, que a inscrição pode não implicar na convocação imediata do inscrito para as eleições de 2018, podendo ocorrer na medida da necessidade do juízo eleitoral.

Na moita

Foto: Agência Brasil

O senador mineiro Aécio Neves terá ‘participação reduzida’ na próxima convenção do seu partido, que escolherá como presidente nacional o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Sem direito a discurso

Desgastado após as denúncias da Operação Lava Jato, Aécio provavelmente nem discursará no evento, marcado para o próximo dia 9 de dezembro.

Nem te conheço!

A intenção da executiva nacional tucana é evitar que a imagem do senador mineiro possa, de alguma forma, ser associada a de Geraldo Alckmin, pré-candidato à Presidência da República nas eleições do ano que vem.

Goldmam

Afastado da presidência do PSDB, Aécio nem mesmo deverá fazer a transmissão do cargo. Esta deverá ficar sob a incumbência do presidente interino da sigla, Alberto Goldman.

Fim da linha

Pra quem não percebeu, Aécio Neves, ao que tudo indica, chegou ao fim da linha em sua carreira política. Pelo menos dentro do PSDB…