Disseminando a cultura do livro e da leitura no Acre

No mês de maio deste ano, o grupo Sociedade Literária Acreana – SLA esteve no município de Jordão, um dos menos favorecidos do Acre pela literatura acreana. Lá foi encontrada uma biblioteca municipal, fruto de uma parceria do governo do Estado, o Município e o Governo Federal, através do Ministério de Desenvolvimento Agrário, com o programa de iniciativa federal, chamado Arca das Letras, criado em 2003 e que desde então, contribui significativamente para a cultura literária, nos locais mais distantes dos grandes centros.

O município passou a contar com um excelente espaço de leitura, um verdadeiro tesouro à disposição dos munícipes, com o ambiente bem conservado e diversidade de títulos consagrados da literatura nacional e mundial.

A surpresa da visita foi observar a ausência da atuação das entidades literárias acreanas, já que por lá, não é possível encontrar as obras dos autores acreanos, nem há o conhecimento amplo de que os mesmos existam.

Pensando nisso e na realidade de outras cidades mais distantes da capital, os representantes da SLA tomaram a liberdade de iniciar uma campanha para juntar livros de autores acreanos, com residência centralizada na Capital, enviar para alguns municípios, objetivando fortalecer projetos de incentivo à leitura, como o do professor Uéliton Freire, diretor da escola municipal Bernardo Abdon da Silva, no município de Jordão e incentivar os membros do grupo a se fazerem presentes na escola, que desenvolve o trabalho de incentivo à leitura e produção textual com as crianças.

Outro projeto, com a mesma peculiaridade, é o Hora de Ler, da escola estadual São Francisco, no município de Mâncio Lima, coordenado pela professora Naíde Macêdo. Por lá, toda a comunidade escolar está de parabéns, especialmente a professora que não mede esforços para promoção da leitura no município.

Há pouco mais de um ano, a presidente da SLA, Maze Oliver, juntamente com a diretoria da entidade, decidiu criar e manter em circulação em todo o território do Acre, o informativo Diário do Poeta, atualmente na quarta edição, uma produção totalmente independente, mantida por seus membros para veicular suas atividades culturais.

Desde a primeira edição, o jornal conta com tiragem de 1.500 exemplares, com circulação trimestral, distribuição gratuita, alcance em todo o território do Acre e distribuição em saraus da cidade do Rio de Janeiro, através do escritor correspondente, membro da SLA, Adriano de Alvarenga Azevedo.

Com essa atividade de disseminação da cultura do livro em Rio Branco e nos demais municípios do Acre, a SLA vem se fortalecendo em seu objetivo de apoiar e espalhar a cultura do livro e da leitura no Estado, promovendo e participando mais ativamente da vida dessas comunidades carentes de atividade culturais.

Infelizmente a literatura acreana não existe para a maioria dos acreanos, especialmente os residentes em outros municípios, distantes da capital e na zona rural. São muitos os autores contemporâneos que constantemente estão apresentando novas obras, apesar de que a maioria delas não têm sua destinação até o consumidor final, o leitor.

A SLA está abraçando a causa de promover a leitura das obras de autores acreanos, pois acredita que a leitura pode ajudar na mudança de vida das pessoas que passam a ter um novo olhar para o mundo, a partir da leitura, inclusive, possibilitando a ampliação do horizonte dos jovens que a praticam.

Desde a criação, o grupo já colaborou com vários projetos de incentivo à leitura e a produção de textos em várias escolas da capital, na zona urbana e rural, algumas do estado, a maioria do município de Rio Branco. Em todas essas intervenções, há o fortalecimento dos projetos de leitura e de produção textual entre os estudantes. Além da distribuição de livros e do incentivo para lê-los.

Com a recente legalização do grupo, como associação sem fins lucrativos, a Sociedade Literária, surge como uma opção para os escritores iniciantes a encontrarem apoio nas suas atividades de produção, em especial, aos estudantes, através das atividades lúdicas que o grupo leva para a comunidade escolar, como Sarau na Escola, um momento de boa música, contação de estórias infantis, declamação de poesia e performance teatral.

Com isso, a SLA acredita numa mudança de mentalidade sobre a importância de valorizar a cultura do livro e da leitura, dos autores regionais e de suas obras.

(*) Membro da Sociedade Literária Acreana – SLA.