Bolsonaro tem 58% dos votos válidos, contra 42% de Haddad, diz Datafolha

Foto: Reprodução

Primeira pesquisa Datafolha de intenção de voto no segundo turno da eleição, divulgada nesta quarta-feira (10), mostra o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, com 58% e o candidato do PT, Fernando Haddad, com 42% em votos válidos, quando são descartados da amostra os votos brancos, nulos e os indecisos.

Quando são considerados todos os votos, os resultados mostram o militar com 49%, contra 36% do petista. Entrevistados que disseram votar branco, nulo ou em nenhum dos dois somam 8%, e 6% dos eleitores estão indecisos.

O levantamento foi feito nesta quarta-feira (10) com 3.235 eleitores em 227 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa, contratada pela TV Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo, foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número: BR-00214/2018.

O Datafolha também fez perguntas aos entrevistados sobre o apoio dos presidenciáveis que ficaram de fora da disputa.

Os resultados mostram que 11% dos entrevistados poderiam escolher o candidato apoiado por Marina Silva (Rede), e 11% deixariam de votar no candidato que tivesse o apoio de Marina. Para 72%, esse apoio seria indiferente, e 6% não souberam responder.

A maioria acha que líder da Rede deve apoiar Haddad no segundo turno (43%). Outros 38% pensam que Marian deve apoiar Bolsonaro.

Quando as mesmas perguntas são feitas sobre Ciro Gomes (PDT), 21% disseram que poderiam votar no candidato apoiado por Ciro. E 11% não votariam no candidato que ganhasse o apoio do pedetista. Para 63%, seria indiferente, e 4% disseram não saber.

O candidato do PDT deveria apoiar Haddad, segundo 46% dos entrevistados. E de acordo com 40%, o apoio de Ciro tinha de ser direcionado a Bolsonaro.

Já quando as mesmas perguntas são feitas sobre Geraldo Alckmin, 14% dos eleitores seriam levados a votar no candidato escolhido pelo tucano, enquanto 13% responderam que não votariam no candidato que tivesse o apoio de Alckmin. Para 69%, esse apoio é indiferente. E 4% não sabem.

A maior parte dos entrevistados acham que Alckmin deve apoiar Bolsonaro (46%). Os que pensam que o apoio devia ser dado a Haddad somam 37%. Para 9%, o tucano não devia apoiar nenhum dos candidatos. E 7% não souberam responder.

A escolha de um candidato para ser o próximo presidente foi feita por 63% dos eleitores ao menos um mês antes do dia da eleição, segundo o Datafolha. Dos entrevistados, 10% responderam que tomaram a decisão 15 dias antes da votação. Para 8%, a escolha foi feita uma semana antes, enquanto 6% decidiram o voto na véspera do pleito. Os que disseram ter decidido no dia da eleição somam 12%.

Fonte: Congresso em Foco