Apoio escancarado

Fotos: Sena Online/Agência Aleac

O prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim (MDB), declarou ontem, 9, apoio ao deputado estadual Ney Amorim (PT), na corrida ao Senado da República. O caso é emblemático e carece de esclarecimentos. Vamos, pois, aos fatos.

Sequelas

Antes, porém, é preciso esclarecer que o anúncio de Mazinho leva à lona, pela segunda vez, o ex-deputado federal e correligionário Marcio Bittar, também candidato ao Senado da República – só que pela oposição. Vejamos por quê.

Dias antes

O primeiro cruzado de direita foi desferido pela turma do Democratas, que em reunião de sua executiva regional, dias atrás, determinou que a sigla não apoiará nenhum dos postulantes ao Senado pela oposição. Os ‘demos’ acusam Bittar de lhes ter traído na indicação do suplente, que acabou ficando com o médico oftalmologista Eduardo Velloso, do PR de Antônia Lúcia Câmara.

Outro nocaute

Esse segundo knock down em Bittar, dado por Mazinho Serafim, resulta da resistência de Bittar em aceitar a indicação (definida no último final de semana, em reunião com outros prefeitos e dirigentes do MDB) do nome da primeira-dama de Sena Madureira, Meire Serafim, para a suplência na chapa do correligionário.

Parênteses

Com a recusa de Marcio Bittar em atender à indicação, Mazinho agora retalia com a declaração de apoio a Ney Amorim. A propósito, as últimas pesquisas de intenção de voto feitas no Acre mostram que Ney foi o candidato ao Senado que mais cresceu na preferência do eleitor.

Olhos cor de mel

A costura do emedebista Bittar para atrair o PR de Antônia Lúcia tem sido creditada ao esplendor que os olhos castanhos da ex-deputada, mais conhecida pelo carinhoso epíteto de “filha da terra”, irradiam sobre seus interlocutores. Bittar, ao que dizem, se deixou encantar por esse olhar irresistível.

Acabou, Jessica?

Foto: Divulgação

Reportagem do site Juruá em Tempo, de Cruzeiro do Sul, revela que a deputada federal Jessica Sales (MDB), filha do ex-prefeito Vagner Sales, pode ter apresentado atestado médico falso à justiça eleitoral a fim de justificar a sua ausência no processo de cadastramento biométrico obrigatório.

Tá na lei

A falta de cadastro implicou no cancelamento do seu título eleitoral, o que, por lei, a impediria de também receber aval da justiça eleitoral em seu registro de candidatura à reeleição.

Verdadeiro ou falso?

Para reverter a questão a seu favor, e conseguir o registro como candidata, a deputada entrou com requerimento de quitação eleitoral com base em um atestado médico. No documento consta que ela teria de ficar afastada das funções na Câmara Federal por 30 dias, a partir do dia 14 de agosto de 2017, devido a complicações pós-cirúrgicas. Daí a sua impossibilidade, conforme o pedido enviado ao TER-AC, de comparecer à 4° Zona Eleitoral, na região do Juruá, para se submeter ao recadastramento.

Em pleno vigor

O atestado médico cita febre, edema e dificuldades de caminhar. Acontece, porém, segundo o site citado, que a deputada esteve no plenário para votar no mesmo dia do atestado (14/08/2017), sendo que a votação ocorreu às 21 horas daquela data. O mesmo ocorreu nos dias 15 e 16 daquele período.

Quebrou dentro

Diz a reportagem do Juruá em Tempo: “Material retirado das redes sociais da deputada e do Portal da Câmara dos Deputados comprovam que a mesma esteve também viajando pelos municípios do Juruá no período alegado como de afastamento, cumprindo extensa agenda política com o então pré-candidato ao senado Márcio Bittar”.

Mais evidências

E prossegue: “Segundo o atestado, a mesma teria feito uma cirurgia de retirada de abcesso no dia 14/08 no Hospital Maria Auxiliadora, no município de Gama, região metropolitana do Distrito Federal”.

Flanando

“No Portal da Câmara dos Deputados consta que foram emitidos dois bilhetes aéreos de ida e volta para a deputada referente aos dias 18/08 e 22/08 referentes aos trechos Brasília-Manaus-Cruzeiro do Sul, dentro, portanto, do período alegado. Uma postagem datada de 10 de setembro informa, através da própria deputada, que a mesma cumpriu agenda no vale do Juruá no período do atestado”, acrescenta a reportagem.

Corroboração

E vai além: “Outra postagem, na rede social de Márcio Bittar, informa o comparecimento da deputada em evento de filiação do primeiro ao MDB, no dia 2 de setembro”.

Arquivo vivo

Segundo ainda o portal de notícias sediado em Cruzeiro do Sul, a deputada tratou de apagar as postagens referentes ao período em que supostamente estaria em recuperação, mas a reportagem, que investigava outro assunto, tinha arquivado as publicações da parlamentar do MDB em seu perfil na rede social Facebook. Resta-nos acompanhar a decisão da justiça eleitoral, que dará um desfecho ao episódio controverso.

É assim que se faz

Inaugurada em fevereiro deste ano sob fogos de artifício e a presença do senador Gladson Cameli (PP), a primeira etapa da reforma do Igarapé Preto, em Cruzeiro do Sul, já apresenta uma rachadura por toda extensão da calçada, além de e pronunciado afundamento no aterro.

Os olhos da cara

Orçado em R$ 1,4 milhão, o serviço foi realizado pela iniciativa privada sob a supervisão da Secretaria de Obras do município. O custo total da revitalização do espaço de lazer está orçado em R$ 10 milhões.