Acre deve diagnosticar mais de mil novos casos de câncer em 2018, aponta estudo

Dados fazem parte de levantamento feito pelo Instituto Nacional do Câncer – Foto: Reprodução Inca

Uma pesquisa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) aponta que 1.070 novos casos da doença devem surgir no Acre durante este ano. Conforme o estudo “Incidência de Câncer no Brasil”, 70% dos casos são estimados na capital do estado, Rio Branco, correspondendo a 750 diagnósticos.

A maior parte dos casos no estado deve incidir sobre homens, 540 no total, correspondendo a uma taxa de risco de 127,23 para cada 100 mil habitantes do sexo masculino. A abrangência na capital acreana para homens é de quase 72%, ou seja, 390 possíveis diagnósticos.

Em relação ao sexo feminino, são esperados 530 casos dos mais diversos tipos de câncer, representando um risco de 126,84 para cada 100 mil pessoas do grupo. Quase 68% devem ocorrer em Rio Branco – 360 novos diagnósticos.

O tipo de câncer com maior incidência em homens, segundo a pesquisa, é o de próstata, com a estimativa de 140 novos casos diagnosticados durante este ano. Já nas mulheres, os de maior predominância são de colo de útero e mama, 90 e 80 possíveis diagnósticos, respectivamente.

Outros destaques, como aponta o Inca, nos tipos de câncer são o de estômago e ainda o de traquéia, brônquio e pulmão, que juntos totalizam 140 novos casos em 2018.

O Inca afirma que em cada 10 casos, três estão relacionados ao estilo de vida que as pessoas levam. Hábitos como tabagismo, consumo de álcool, sedentarismo, obesidade e exposição excessiva ao sol aumentam as chances de incidência da doença.

Segundo os pesquisadores, cerca de um terço dos tipos de câncer podem ser evitados, o que significa um passo muito importante no aspecto da prevenção da doença no Brasil e no mundo. Os dados foram divulgados em um evento no Inca para o Dia Mundial do Câncer.

Portal G1/AC