A cobra vai fumar

Agência Aleac/Alexandra Martins Agência Câmara/Agência Senado/Agência Senado

O presidente regional do PT, deputado estadual Daniel Zen, afirma ter protocolado no Ministério Público Eleitoral um pedido de instauração de procedimento investigatório contra supostos crimes eleitorais cometidos pelos senadores Sérgio Petecão (PSD) e Gladson Cameli (Progressista). Ambos foram citados pelo pré-candidato ao Senado, Marcio Bittar (MDB), em uma gravação clandestina feita durante uma reunião de Bittar com outros dirigentes partidários da oposição. O áudio foi ‘vazado’ nas redes sociais.

Crime ou bravata?

Zen disse que na gravação teria ficado clara a prática de crime eleitoral. “Estou pedindo que o MPE instaure um inquérito para investigar se as declarações foram verdadeiras ou não passam de bravatas. Se foram bravatas, isso demonstra a falta de caráter de um político que imputa a um aliado a suposta prática de crime eleitoral. Se um aliado imputa a mim a prática de um ilícito, isso tem que ser investigado”, disse o parlamentar petista.

Lage

Daniel Zen lembrou que Bittar sustenta que Fernando Lage arrumou um milhão para a campanha de Petecão nas eleições de 2010 – valor não registrado na prestação de contas do senador do PSD. Ele também destacou a ‘presunção de crime’ na arrecadação da futura campanha de Gladson Cameli.

Favorecimento ilícito

A revelação dá conta ainda de que o crime eleitoral deverá se repetir nas eleições deste ano, favorecendo o senador Gladson Cameli (PP), candidato das oposições, que teria um suporte adicional em sua campanha de R$ 30 milhões – dinheiro este a ser internalizado no Acre de forma ilícita, no famoso caixa 2 –, numa operação a ser bancada pelo empresário Eládio Cameli, pai do senador.

Em anexo

Em pronunciamento feito ontem, 7, na Aleac, Zen informou que anexou o arquivo de áudio com as declarações de Bittar junto com o pedido de que o caso seja apurado com rigor. Ele pede que, em caso comprovação das denúncias, os responsáveis por supostos crimes venham a ser punidos, bem como se evite que a lisura das eleições deste ano seja maculada pela força do poder econômico.

Remember

O áudio com as declarações de Marcio Bittar veio a público no dia 23 de janeiro, e provocou grande crise na oposição ao governo do Acre. A celeuma que se formou a partir da gravação fez com que Daniel Zen anunciasse a necessidade de apuração do caso, levando em conta que Marcio Bittar tem um profundo conhecimento das entranhas da oposição no Acre.

Algo de podre no ar

“Existe algo de muito grave nas declarações do ex-deputado federal Marcio Bittar, constante em arquivo de áudio que circula em grupos de redes sociais”, disse Zen. “Não pelas picuinhas (quem vai ser vice ou suplente de quem), porque isso é assunto deles e não nos diz respeito. Falo sobre as revelações sobre a suposta prática de crime eleitoral, com uso de recursos não contabilizados, constituindo financiamento ilícito de campanha”, disse o parlamentar.

Planejamento

Sobre os fatos delatados por Bittar, Daniel Zen foi incisivo ao dizer que se trata ‘do planejamento de uma conduta ilícita’.

Urgência

“Se ficar comprovado crime eleitoral que o MP possa ajuizar a ação eleitoral ou ação civil e que o judiciário possa se debruçar sobre isso. O MPE precisa interpelar Marcio Bittar para que este venha a prestar esclarecimentos sobre suas declarações para que ao final o Poder Judiciário possa também se pronunciar sobre o caso. Não estou dizendo que as acusações são verdadeiras, quem disse isso foi o Marcio Bittar. Mas são graves! Todos os veículos de imprensa acreana divulgaram esse caso. Marcio Bittar precisa ser chamado para depor”, enfatizou.

Ao deus-dará

Foto: Regiclay Saady

Ainda sobre Bittar, o ex-deputado e atual vereador da capital N. Lima (sem partido), que ficou conhecido pelos eleitores pelo bordão “A culpa é do PT”, disse ontem, durante discurso na Câmara, que não apoiará o pré-candidato do MDB ao Senado.

Fotografia

Sem informar o motivo da decisão, N. Lima citou a foto em que Bittar aparece ao lado de Gladson Cameli, em Brasília.

Pedido de registro

“Eu, meu filho e nosso pessoal não apoiamos Marcio Bittar na chapa do Gladson Cameli”, disse o vereador, pedindo, inclusive, que sua afirmação fosse registrada nos anais da Casa.

Insatisfação geral

O vereador N. Lima é só mais um entre os muitos insatisfeitos com Bittar depois de vazado o áudio em que ele cita um suposto plano na cúpula da oposição para vencer as eleições neste ano.

Agenda matinal

O governador Tião Viana fará a entrega, às 8h30 desta quinta-feira, 8, em frente ao Quartel da Polícia Militar, no centro de Rio Branco, de 28 motocicletas para a Polícia Militar. Os veículos fortalecem as atividades da Companhia de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (Raio).

Agricultura familiar

Logo depois, às 10 horas, Tião Viana assina a liberação de investimentos para a agricultura familiar, no total de R$ 450 mil. A ação beneficia 82 famílias de comunidades de Rio Branco. A solenidade ocorre na Igreja Pentecostal Deus é a Verdade, na Transacreana, km 17, Ramal do Polo Dom Joaquim, km 2.