Temer vs. STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso decidiu ontem (12) investigar o presidente Michel Temer (PMDB) e o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures, além de mais dois empresários, pelos supostos crimes de corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro. Abriu-se um inquérito para apurar as suspeitas.

Propina

Barroso atendeu a pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que pede sejam investigadas suspeitas de recebimento de vantagens indevidas dos envolvidos pelo suposto favorecimento da empresa Rodrimar S/A por meio da edição do Decreto dos Portos (Decreto 9.048/2017).

Casos diferentes

Segundo reportagem do site brasil247, o pedido de abertura do inquérito chegou ao Supremo em junho e acabou nas mãos do ministro Edson Fachin. Mas ele entendeu que o caso deveria ser redistribuído a outro integrante da Corte, por não ter conexão com o inquérito que envolve Temer a partir das delações da JBS.

Redistribuição

A presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, determinou nesta semana uma nova distribuição do processo, e Barroso foi escolhido como relator.


Tucano boquirroto

O deputado federal Major Rocha (PSDB) tem a língua solta. Sua última declaração, feita ao colunista Moreira Jorge, é de que o evento de filiação de Marcio Bittar ao PMDB deve ser monitorado pela Polícia Federal.

Razão do alerta

A afirmação do parlamentar tucano, desafeto confesso de Bittar, se baseia na provável vinda ao estado dos senadores Romero Jucá (PMDB-RR) e Renan Calheiros (PMDB-AL), dois colecionadores de inquéritos no Supremo Tribunal Federal.

Ausência anunciada

Rocha mandou dizer, também, que não comparecerá ao ato de filiação de Bittar, com quem se desentendeu no PSDB. O deputado acusa o desafeto de uma tentativa de golpe para sacá-lo da presidência do partido.

Estrelas peemedebistas

Renan Calheiros e Romero Jucá, além dos processos que tramitam no STF, são acusados de integrar uma organização criminosa que age no Senado federal com o objetivo de enriquecimento e pessoal e abastecimento do caixa do partido. A denúncia é do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, feita no início desta semana.

Ele quer distância

De acordo com Rocha, a Polícia Federal deverá vigiar as lideranças do PMDB que vierem ao Acre. E essa seria uma boa razão pra ele ficar longe do evento.

Apoio zero

O deputado tucano asseverou ainda que Bittar não contará com o apoio do PSDB em sua pretensão de chegar ao Senado.

Apoio a Petecão

E reiterou que ele e seu grupo vão engrossar a campanha de Sérgio Petecão (PSD) à reeleição.

Ataques sob encomenda

Rocha também acusou Bittar de patrocinar um site local para atacá-lo e também ao seu partido.

Métrica da discórdia

As declarações do deputado tucano mostram que a oposição está longe de unir-se, como pretendem os apoiadores do senador Gladson Cameli (PP), pré-candidato ao governo do Estado.

Preocupação

O deputado estadual Jenilson Leite (PCdoB) tratou na sessão de ontem (12) sobre a ameaça de demissão dos servidores do Pró-Saúde. De acordo com o parlamentar, caso isso venha a acontecer será instalado um caos na saúde pública do Estado.

Discordância

“O governo tem chamando os concursados, mas a demissão deles está causando um grave problema na Saúde. Como servidores que fizeram concurso podem ser demitidos por conta de uma decisão judicial? Não tem como aceitar isso com normalidade”, disse.

Apoio à causa

Jenilson fez questão de parabenizar o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac) por sua defesa dos servidores do Pró-Saúde. Ele finalizou seu discurso declarando apoio à causa.

Solidário

Sobre a demissão do pessoal do Pró-Saúde, a deputada Eliane Sinhasique (PMDB) disse tratar-se de uma grande injustiça. Gehlen Diniz (PP) fez questão de prestar solidariedade aos que vivem sobre a ameaça de demissão.

Destaque

Deputado federal Moisés Diniz (PCdoB) tem se destacado em sua atuação na Câmara. Está sempre debatendo assuntos de interesse dos acreanos e disposto a se envolver em questões importantes para o Estado.

À altura

Sem nenhum demérito para com Sibá Machado, que se ausentou do mandato a convite de Tião Viana, em cujo governo compõe o staff de secretários. Mas a verdade é que Moisés Diniz tem feito um trabalho à altura do desafio que aceitou.

Seria injusto

Pelos resultados de sua atuação parlamentar, seria uma grande injustiça que o PCdoB não lhe franqueasse a oportunidade de concorrer ao cargo que hoje ocupa.

Resultados

Quem vive pelas bandas de Plácido de Castro tem dito que o prefeito tucano Gedeon Sousa tem feito um bom trabalho. Mas ressalva que precisa corrigir algumas distorções existente em sua gestão.

Asinhas de fora

O prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), a despeito de ter dito anteriormente que não disputaria as prévias partidárias para a escolha do candidato à Presidência da República contra o padrinho político Geraldo Alckmin, mudou o discurso por esses dias.

Confronto à vista

Dória tem dito a aliados e jornalistas que poderá, sim, enfrentar o governador paulista na disputa. Segundo ele, o tempo é quem vai dizer.