13ª. Imersão na Floresta…

Fotos: Victor Mattos e integrantes da Imersão
Fotos: Victor Mattos e integrantes da Imersão

O programa “Imersão ao Nosso Tempo e Espaço Originais” é uma continuidade, digamos prática, das oficinas de sensibilização à Filosofia “Nosso Tempo, Nosso Espaço”, que venho realizando nos últimos nove anos. Uma atividade psicofilosófica e psicopedagógica.

Idealizada pela Sociedade Filosophia, cerca de 550 pessoas, de todas as idades e segmentos, já mergulharam nas Florestas do Seringal Cachoeira, onde viveu o Líder Seringueiro Chico Mendes, no município de Xapuri – Acre. Uma experiência única no Brasil.

Nos dias 24 e 25 de novembro, a Sociedade Filosophia e o Instituto de Matemática, Ciências e Filosofia do Acre, levaram seus jovens acadêmicos, professores do Instituto, convidados e assessores parlamentares, para vivenciaram 30 horas dos encantos, ensinamentos e sentimentos da nossa Floresta e de seus povos.

Ouviram palestra do Nilson Mendes – Sábio da Floresta, à luz de lamparinas; observaram o Cosmos ao telescópio; enviaram mensagens em código Morse às estrelas, através do raio laser; andaram desde as 3 horas da manhã nos varadouros; usaram a poronga, cortaram seringa; fizeram Ioga; jogaram Xadrez e Cubo Mágico na Trilha da Coroa, ponto mais alto do Seringal (40 metros); lancharam em absoluto silêncio; e, agradeceram à Floresta, emocionados, com lágrimas, orgulho e reverências clorofilados.

Nilson Mendes, o Sábio da Floresta.
Nilson Mendes, o Sábio da Floresta.

Nossos Talentos de Ouro (entre 11 e 17 anos) passaram o tempo inteiro (incrível, o tempo todo!) discutindo Botânica, Matemática, Astronomia, Física Quântica, Química, Biologia, Ética, História e Filosofia dentro da Floresta. Eles são muito especiais!

Nossos agradecimentos ao Governador Tião Viana (que idealizou esta nova modalidade de Imersão, 30 horas), ao Deputado Estadual Daniel Zen (que patrocinou a experiência), aos Secretários de Turismo, Saúde, Educação, FEM, à UFAC, ASSECOM, ao Clube de Astronomia Gama Hidra do Acre, à Gerência da Pousada do Seringal Cachoeira, e a todos que contribuíram, em especial o Nilson Mendes (primo do Chico Mendes).

Jogando Xadrez e Cubo Mágico na Trilha da Coroa. 40 metros de altitude.
Jogando Xadrez e Cubo Mágico na Trilha da Coroa. 40 metros de altitude.

Por uma ideia do Governador Tião Viana, um Documentário de 20 minutos será feito pelo cinegrafista Kennedy Santos para distribuição às universidades, centros de pesquisa e ciências, escolas técnicas e parceiros nacionais e internacionais do nosso NOVO ACRE.

Muito agradecido a todos, em especial, à nossa Floresta!

Com os sentimentos da Floresta.
Com os sentimentos da Floresta.

Pois bem. Dois dias após a Imersão recebo uma carta da advogada Priscila Lima, uma das fundadoras da Sociedade Filosophia e que participou da experiência pela primeira vez. Priscila escreveu um belo e sensível texto sobre suas impressões, com seus dedos e sua mente visivelmente clorofílicos.

Estendo, com alegria, sua carta no nosso Varal.

Presentes Filosóficos…

(Por Priscila Lima)

Eu sempre gostei muito de presentes, tanto de dá-los quanto de recebê-los. Quando presenteamos ou somos presenteados entramos em sintonia com o outro, com seus gostos, características e anseios. São inúmeros os presentes que damos e que recebemos no decorrer da nossa existência, mas somente um tipo de presente reúne a capacidade de estar sempre presente, de nos transportar para outras dimensões e de nos transformar naquilo somos. A esses presentes concedo o nome de presentes filosóficos.

Não sei se você já parou para pensar que eles existem, não sei se você nota a presença deles quando presenteia ou quando é presenteado, não sei se você já percebeu que eles ficam e reverberam para sempre. Há quem leve uma vida inteira para descobrir a existência e a essência dos presentes filosóficos. Há quem nunca descubra. Eu levei 21 anos, até que um dia, alguém para sempre muito especial, escreveu-me dizendo que estava enviando meu primeiro presente filosófico. E meu primeiro presente filosófico dizia: “Tudo acontece por uma razão e um fim, e isso nos serve”.

Há quase uma década meu primeiro presente filosófico me acompanha, aguça meus sentidos e acalenta meus sonhos. Não existe mistério que ele não desvende, não existe obstáculo que ele não seja capaz de vencer e não há limites para sua imaginação. Aos 30 anos, recebi o convite para fazer a 13ª Imersão ao Nosso Tempo e Espaço Originais, um mergulho na floresta amazônica, em terras Acreanas, composta de lutas e sonhos. A Imersão de 30 horas, idealizada pelo emissor do meu primeiro presente filosófico, surgiu para lembrar-me de que nada acontece por um acaso.

Ao colocar meus pés no Seringal Cachoeira, local da Imersão, meu presente primeiro assegurou-me que ali estava ao manifestar-se através das palavras daquele que me presenteou muitos anos atrás. E ali, no local onde todos os dias a vida se apresenta de forma perfeita e ilimitada, eu ganharia valiosos e incomensuráveis presentes filosóficos.

Meus companheiros de Imersão, um grupo de jovens, gênios da Matemática, Ciências e Filosofia, a maior parte deles com metade da minha idade ou menos, me presentearam das mais variadas formas filosóficas. E embora tivessem uma inteligência muita acima da média, muito acima da minha, todos, sem exceção, mantiveram a capacidade de admirar-se com a essência de todas as coisas. Autênticos, divertidos, seguros e profundos estavam permissivos na arte de aprender e ensinar. Mantiveram a pureza e a magia em todos os momentos.

varal_5

Meus companheiros de Imersão não eram apenas jovens estudantes. Estávamos também na companhia de jovens mestres, daqueles que nunca perdem a jovialidade, daqueles que descobrem nossos potenciais antes mesmo de nós cogitarmos que eles existem, daqueles que nunca deixam de nos motivar, de nos preservar como seres humanos éticos que somos. Sem esses jovens mestres a Imersão sequer existiria e sem eles não seria possível compartilhar tantos presentes filosóficos.

Entre jovens estudantes e jovens mestres compreendi com riqueza de detalhes sobre um dos mais poderosos presentes filosóficos: a inteligência sem a sabedoria é limitada. Nos jovens estudantes presenciei uma inteligência incrível que em harmonia com a sabedoria dos jovens mestres alcançava a mais absoluta potência: o amor! O amor por nossas origens, o amor por nosso tempo, por nosso espaço, por nossa floresta, o amor ao próximo, o amor em todas as suas justas formas.

Meus companheiros de Imersão não eram apenas jovens estudantes e jovens mestres. Estávamos também na companhia de jovens profissionais que encontraram sua missão e que através dela tornam sonhos realidade. Eles que com suas habilidades, dedicaram-se incansavelmente aos detalhes de transformar a nossa Imersão no mais lindo mergulho ao encontro de nós mesmos.

Após 30 horas de imersão, emergimos todos na mais pura sinergia, na qual cada um despertou a própria muiteza e através dela fez com que cada momento compartilhado fosse único e indescritível. Assim, ainda que não existam palavras capazes de descrever o que juntos vivenciamos e sentimos, voltamos profundamente transformados e com a certeza de que tudo aconteceu por uma razão e um fim, e isso nos servirá por toda a vida!

Que nossas vidas sejam repletas de presentes filosóficos, que ao longo de nossas jornadas possamos presentear e sermos presenteados de forma ilimitada e única! Essa é minha carta de amor, repleta de gratidão por todos os presentes compartilhados na nossa inesquecível e indescritível Imersão.

Priscila Negreiros D’ Albuquerque Lima nasceu em 26 de abril de 1986 em Cruzeiro do Sul – Acre. Foi Estagiária Fundadora da Biblioteca da Floresta em 2007/2008 e fundadora da Sociedade Filosophia. É Advogada desde 2009. Pratica a Filosofia Swásthya Yôga há cinco anos e atualmente está em formação profissional.

Marcos Afonso é Jornalista e Professor

Hasta la Victoria Siempre!!