Time

Na primeira entrevista que concedeu à imprensa depois de eleito presidente, Jair Bolsonaro (PSL) demonstrou desejo de ter o juiz Sérgio Moro integrando a sua equipe de governo, no comando do Ministério da Justiça.

Convite

“Pretendo sim (convidar Sergio Moro), não só para o Supremo, quem sabe até chamá-lo para o Ministério da Justiça. Pretendo conversar com ele, saber se há interesse dele nesse sentido também”, afirmou Bolsonaro à TV Record.

Confetes

Sérgio Moro desejou ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) ‘que faça um bom governo’. Após o fim da apuração, Moro declarou que ‘encerradas as eleições, cabe congratular o presidente eleito’. Ele pede reformas ‘com diálogo e tolerância’: “são importantes, com diálogo e tolerância, reformas para recuperar a economia e a integridade da Administração Pública”. Moro é apontado como virtual ministro da Justiça e, posteriormente, do STF.

Causa

Embora acredite que Moro tem “mais perfil de ministro”, Bolsonaro ressaltou que a vaga do Ministério da Justiça está aberta. “Nosso querido juiz Sergio Moro é uma pessoa que perdeu a sua liberdade no combate à corrupção e hoje não pode ir à padaria mais sozinho comprar um pão, ou passear no shopping com a sua família. Tem que estar muito bem protegido por seguranças. Então é uma pessoa que merece ser reconhecida pelo seu trabalho”, disse.

Nota

Em uma nota de esclarecimento, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) desmentiu informação segundo a qual haveria cortes dos plantões extras da saúde, com efeito na folha de pagamento de outubro.

Disparidades

Segundo a Sesacre, os plantões extras serão pagos normalmente, após a quitação da folha. A decisão se dá em face de incongruências entre as informações das unidades e o processado no banco de dados da Secretaria.

Empenho

“Ciente da importância da categoria e do seu empenho em garantir o melhor atendimento à população, sendo um dos serviços indispensáveis aos acreanos, a Sesacre refirma seu compromisso com a saúde, sendo esta uma das prioridades do governo atual”, disse o secretário Rui Arruda na mensagem.

Metade da laranja

O governador eleito Gladson Cameli (PP) deve contar com apoio de pelo menos 12 dos 24 deputados eleitos para a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). A gestão de Cameli começa a partir do dia 1º de janeiro de 2019.

Composição

Dos eleitos para a Aleac, 50% são filiados a partidos que formaram a coligação que elegeu Gladson. Com 53,71% dos votos válidos, ele foi eleito no primeiro turno das eleições do dia 7 de outubro.

Teoria Vs. prática

É claro que isso se dará apenas em tese. Como sempre ocorre com a mudança de governos, a tendência é que alguns adversários políticos acabem se tornando aliados. E o governador eleito tende a ampliar sua base de sustentação no parlamento estadual.

É a política….

Até porque já há sinais, de deputados eleitos pela aliança Frente Popular, de que desejam compor com o futuro governo.

Vitória histórica

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) foi o candidato com a maior votação histórica no Acre, com 77,22% dos votos válidos. O recorde era de José Serra (PSDB), nas eleições presidenciais de 2010, que obteve no Acre 69,67% – a maior votação proporcional dada a um candidato a presidente desde as eleições de 1989.

Remember

Naquele ano, Serra também obteve, na cidade de Porto Acre, a maior votação proporcional do país: 80,33% dos votos válidos. Ainda assim, o tucano foi derrotado pela petista Dilma Rousseff, uma estreante em pleitos políticos.

Novo marco

Esse recorde também foi quebrado por Bolsonaro, que obteve em Rio Branco 82,81% dos votos válidos.

Guinness Book

Foto: Blog do Alvorada

Ainda assim, na história das eleições presidenciais, Dilma Rousseff figura como a campeã de votos, com 78,76% dos sufrágios obtidos no Estado do Maranhão, também em 2010.

Imbatível

O município de Belaguá, também no Maranhão, foi responsável pela maior votação proporcional de toda a história das eleições presidenciais desde 1989, dando a Dilma 92% dos votos na disputa de 2010 e 94%, na de 2014.

Elogios

O presidente da Associação dos Magistrados do Acre (Asmac), Luís Camolez, registrou elogios ao trabalho realizado pelos membros do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE/AC) nos 1º e 2º turnos das eleições deste ano. Segundo os juízes e desembargadores demonstraram “grande senso de cidadania, garantindo o cumprimento da legislação e a democracia”. Ele citou ainda os dois dias de votação como datas sem qualquer registro de “transtornos e sem intercorrências”.