Tempos sóbrios

Foto: Cedida

O município de Manoel Urbano vive momentos de muita insegurança jurídica. Tudo porque o prefeito Tanízio Sá (MDB) está passando a navalha nos cargos ocupados por servidores do quadro efetivo.

Rebu

Publicados ontem, 6, no Diário Oficial do Estado, os decretos assinados por Tanízio põem na rua quase 50 funcionários do município de Manoel Urbano. A notícia causou um verdadeiro rebuliço entre os moradores. Não se fala em outra coisa por lá.

Medida extrema

De acordo com o prefeito emedebista, todos os esforços foram feitos para que não se chegasse a esse extremo.

Pesar

“Cortei gastos, exonerei comissionados, fiz o que pude para me adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal, mas infelizmente não foi o suficiente. Tive que tomar essa medida, com base na lei, e com muito pesar”, disse ele.

Reação

Segundo disse um vereador do município a um site local, a notícia causou indignação na cidade. Os prejudicados pela caneta de Tanízio Sá já contataram dois advogados trabalhistas que deverão chegar ainda nesta sexta-feira, 7, em Manoel Urbano para se reunir e discutir com os servidores demitidos uma estratégia de reversão do caso.

Sem eira e nem beira

E acrescentou: “A atitude do prefeito deixou a população indignada. [Os demitidos] São pais de família que estão nesse momento sem saber o que fazer. Gente que tem empréstimos em bancos e não sabe como vai pagar”, afirmou o parlamentar.

De afogadilho

Para o vereador, o prefeito tomou a decisão de demitir servidores de maneira precipitada, já que na quarta-feira desta semana, a Câmara do Deputados aprovou proposta que afrouxa as regras da LRF para as despesas das prefeituras municipais com pessoal, desde que comprovada a queda na arrecadação.

Sanção presidencial

Com a aprovação da proposta, o teto de gastos com a folha de pagamento nos municípios sobe de 54% para 60%. A nova lei será encaminhada para a sanção do presidente Michel Temer (MDB).

Anúncio

Foto: Da Assessoria

O vice-governador eleito Major Rocha (PSDB) deverá anunciar nesta sexta-feira, 7, os nomes que comandarão a Segurança Pública do Acre, durante o governo de Gladson Cameli (PP), a partir de 1º de janeiro.

Primeira reunião

Marcado para às 10 horas, no auditório da Secretaria de Segurança Pública, o anúncio também marca a primeira reunião e o início dos trabalhos de planejamento de ações integradas do sistema público.

Entrevista coletiva

Logo depois da abertura da reunião, às 11 horas, Rocha vai conceder uma coletiva de imprensa.

Dedicação

Conforme a assessoria de imprensa do futuro governo, Rocha disse o seguinte: “Eu e o governador eleito Gladson Cameli nos dedicamos durante toda essa semana para alinharmos as indicações dentro dos critérios de qualidade técnica, experiência, compromisso com as diretrizes do governo e capacidade de trabalhar em defesa dos interesses da sociedade”.

Resultados

Para Rocha, esse é um setor desafiador e problemático, e que tem muita expectativa por parte da população. O major disse que após o anúncio e durante a gestão vai solicitar das instituições uma atuação harmoniosa e com resultados positivos.

Meia dúzia

Serão anunciados seis nomes que, juntos, vão compor a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Acre (Sesp), os comandos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, o Instituto Penitenciário (Iapen) e o Instituto Socioeducativo (ISE).

Comandantes e subcomandantes

Alguns nomes já foram divulgados pelo governador eleito, Gladson Cameli. No comando da Polícia Militar foi convocado o coronel PM Mário Cezar e para o Corpo de Bombeiros, o coronel Antônio Velásquez. Os nomes dos subcomandantes das duas corporações serão anunciados nesta sexta-feira.

Outros nomes

A secretaria de Polícia Civil será mantida na estrutura do futuro governo. Os nomes do secretário e demais membros da equipe serão conhecidos na reunião. Também serão anunciados os diretores presidentes do Iapen e do ISE.

Transmissão de cargo

Uma equipe da Assembleia Legislativa do Estado (Aleac) e outra do Cerimonial do governo do Estado, além da atual secretária de Comunicação, Andrea Zílio, juntamente com a equipe do senador Gladson Cameli (PP), vão realizar, nesta sexta-feira, 7, uma reunião, às 9 horas, no auditório da Aleac, para definição de algumas questões relacionadas à cobertura da imprensa no dia da posse e da transmissão de cargo do governador Tião Viana para o governador eleito Gladson Cameli.

Precaução

Conforme esclareceu a assessoria de imprensa de Cameli, a reunião será voltada principalmente para os editores de imagens, a fim de se evitar contratempos no dia da posse do governador eleito.