Servidoras promovem confraternização natalina para as mães do Método Canguru

Roberta Lima esteve internada junto com a filha por quase 40 dias – Foto: Cedida

Se o símbolo do Natal é o Papai Noel, na manhã desta sexta-feira, dia 7, o bom velhinho foi substituído pelas servidoras da Maternidade Bárbara Heliodora –, que trabalham no Método Canguru e proporcionaram momentos de alegria e descontração às mamães de bebês prematuros internados na unidade.

A confraternização natalina, organizada com todo amor e carinho pela fonoaudióloga que faz o acompanhamento dos bebês no alojamento, Dayse Guerra, teve início muito antes com uma sessão de fotos na terça-feira, 4, registrando o laço de amor e cuidado das mães com seus pequenos.

“Procuramos promover momentos como esse em datas comemorativas, até como forma de aliviar o estresse diário do ambiente hospitalar. Uma oportunidade para que as mães se distraiam e se sintam mais acolhidas, com amor, atenção, carinho e palavras de esperança, além de melhorarem a autoestima. Muitas estão aqui, longe de suas casas, de suas famílias há meses. Então, a equipe de profissionais se reúne, cada um contribui com alguma coisa, aproveito para chamar meus alunos da Uninorte, que têm talentos na fotografia, na maquiagem e na música para fazer desse momento algo muito especial, como foi o ensaio da terça-feira, quando as mães foram maquiadas e fizeram um book fotográfico com seus bebês”, destaca.

Mãe de primeira viagem, a servidora pública Roberta Lima teve que aprender não somente a cuidar de uma recém-nascida, trocar fraldas, dar banho, entre outros cuidados com a chegada do bebê. Mas aprendeu a cuidar de uma bebezinha delicada, cercada por tubos e outros equipamentos médicos devido o nascimento prematuro, com 28 semanas de gestação, pesando menos de 1,3 quilo.

Internada junto com a filha há quase 40 dias no alojamento conjunto – Canguru, ela fala das vitórias diárias e agradece o carinho da equipe que se dedica na recuperação e bem-estar dos bebês.

“Não é fácil estar longe de casa, ser mãe de primeira viagem e acompanhar algumas intercorrências que hora ou outra acontece ali ao seu lado. É preciso ter muita força e fé. Agradeço o carinho e dedicação de toda equipe, de saber que nossos bebês estão bem assistidos, pois cada vitória, cada ganho de peso é comemorado e logo estaremos em casa”, relata a mãe.

Método Canguru ajuda a recuperar bebês prematuros

Quando saem da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), de onde também recebem atenção humanizada (sem restrição de horário para as famílias), os bebês de risco ficam no alojamento conjunto com suas mães, na unidade Canguru. Esse método, implantado na maternidade há quase 20 anos, vem trazendo inúmeros benefícios para os bebês, suas famílias e para a equipe de saúde.

O método, instituído pelo Ministério da Saúde (MS), no âmbito da humanização da assistência neonatal, visa promover, por meio do contato pele a pele precoce entre mãe e bebê, maior vínculo afetivo, maior estabilidade química e melhor desenvolvimento, além de reduzir os custos da assistência perinatal. Um dos pilares do método canguru é o estímulo ao aleitamento materno, incentivando a presença constante da mãe junto ao recém-nascido, e o contato precoce com seu filho.

Lane Valle