Saúde capacita tutores no método Canguru

Capacitação para tutores tem o apoio da Coordenação Estadual do Método Canguru, da Maternidade Bárbara Heliodora e conta ainda com o apoio da Universidade Federal do Acre – Foto: Cedida

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), por meio do Departamento de Atenção Primária, Políticas e Programas Estratégicos/Divisão de Saúde da Criança, realiza a capacitação de tutores para trabalhar dentro do método Canguru. O evento acontece até esta quarta-feira, 13, no auditório da Maternidade Bárbara Heliodora.

A capacitação para tutores tem o apoio da Coordenação Estadual do Método Canguru, da Maternidade Bárbara Heliodora e conta ainda com o apoio da Universidade Federal do Acre (Ufac).

Participam da capacitação 35 profissionais da Saúde que atuam na atenção básica e o curso será ministrado pelos tutores estaduais e por Vanessa Peres, consultora nacional do Ministério da Saúde (MS), e tem como objetivo construir uma linha de cuidados para as crianças egressas de unidades neonatais.

O método Canguru é um modelo de assistência perinatal voltado para a melhoria da qualidade do cuidado, desenvolvido em três etapas conforme portaria GM/MS nº 1683, de 12 de julho de 2007, que parte dos princípios da atenção humanizada, o que reduz o tempo de separação entre mãe e recém-nascido e favorece o vínculo.

Além disso, ele reduz o risco de infecção hospitalar, o estresse e a dor do recém-nascido, aumenta as taxas de aleitamento materno e melhora a qualidade do desenvolvimento neurocomportamental e psico-afetivo, reduzindo o número de reinternações.

A posição canguru (colocar o bebê na bolsa, próximo ao corpo) é proposta sempre que possível. É uma prática de atenção humanizada ao recém-nascido prematuro ou de baixo peso, desenvolvida em três etapas. Começa antes do parto (período perinatal), seguindo pelo estímulo a ações no parto e na Unidade Neonatal e especial e à entrada dos pais nesses locais.

Na segunda etapa do método, o bebê deve estar estável clinicamente, com ganho de peso regular, segurança materna, interesse e disponibilidade da mãe em permanecer com a criança o maior tempo possível. A terceira etapa ocorre com o bebê em atendimento ambulatorial, com acompanhamento conjunto das equipes de atenção básica, visto que coordenam o cuidado em saúde.

Agência Notícias do Acre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *